quarta, 17 de abril de 2024

Vereadora Roberta Stopa é alvo de CP na Câmara de Ourinhos

A representante do Coletivo Enfrente é acusada de postar em sua rede social palavras que ofendem a Casa de Leis

 

 

Marcília Estefani

 

 

Foi instaurada na segunda-feira, 28/8, durante a 27ª Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores de Ourinhos, uma Comissão Processante (CP) para apurar denúncia de possível quebra de decoro feita pela Vereadora Roberta Stopa (PT), do Mandato Coletivo Enfrente.

A denúncia foi protocolada na Casa por André Luis Paladino, presidente do partido Solidariedade em Ourinhos. Roberta é acusada de compartilhar postagens nas redes sociais desqualificando a câmara, apontada como ‘sexista, machista, preconceituosa e vendida’.

As postagens citadas teriam sido feitas, supostamente, no dia 21 de agosto, após o projeto de lei, de autoria de Roberta, sobre autorização da presença de doulas durante trabalhos de parto no município ser rejeitado novamente pela casa.

A postagem de Roberta obteve vários comentários, e um deles dizia Mais uma vez nossa câmara municipal sexista, machista, misógina, preconceituosa, vendida… rejeitou o projeto 🤮🤮🤮

Procurada pelo Negocião, a vereadora explicou que a postagem não demonstrava a sua opinião, o que pode ser visto na postagem.

“Eu tenho muito respeito pelo legislativo e muita seriedade com o trabalho. O que ocorreu foi um repost de stories, não é a minha opinião. Nesses dois anos e meio, venho atuando pela valorização do legislativo com um trabalho digno e em prol da população. Nunca cometi uma infração ética, e abrir uma Comissão Processante não parece algo razoável. Estou recebendo apoio de Partidos, deputados e vereadores. Amigos, apoiadores e movimentos populares estão divulgando o “Roberta fica” e isso tem me fortalecido”, disse Roberta.

Dos 15 parlamentares presentes na Sessão, 11 votaram a favor da abertura da Comissão Processante. O presidente do legislativo, Fernando Rosini (União Brasil), não participou da votação.

A Comissão Processante será composta pelos vereadores Giovanni de Carvalho, do PL, Márcio Domingos, da União Brasil e Anísio Felicetti, do PP, todos escolhidos através de sorteio.

Um dos comentários gerou a denúncia que culminou na CP

 

TASCA TAMBÉM FOI ALVO DE DENÚNCIAS – Na mesma Sessão, o Vereador Roberto Tasca (MDB) também foi alvo de pedido de abertura de comissão processante a fim de analisar possível quebra de decoro parlamentar durante pronunciamento da tribuna da Câmara, quando teria proferido palavras que poderiam ter ofendido no dia 14 de agosto, teceu comentários no sentido de injuriar e difamar o atual secretário municipal de obras, Inácio José Barbosa Filho.

A solicitação foi protocolada na Câmara pelo próprio Inácio, porém foi rejeitada por 13 dos edis, com apenas 1 voto favorável, do vereador Abel Diniz Fiel (PSD), o que resultou no arquivamento da denúncia.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.