segunda, 27 de maio de 2024

Vereadores da Comissão de Obras reúnem-se com representantes da AVOA

A Comissão é presidida por Gil Carvalho, tem Cicero Investigador como vice-presidente e Furna Beco da Bola como membro

 

Da redação

 

Na última terça-feira (13), os vereadores que integram a Comissão Permanente de Obras, Serviços Públicos e Meio Ambiente reuniram-se com os diretores da AVOA – Empresa Ônibus Circular Cidade de Ourinhos, Luciano Lucio de Carvalho e Luiz Carlos Lucio de Carvalho.

A Comissão é presidida por Gil Carvalho, tem Cicero Investigador como vice-presidente e Furna Beco da Bola como membro. “O encontro foi para tratarmos sobre o possível colapso no sistema de transporte público de Ourinhos, pois a Câmara recebeu um ofício da empresa relatando a atual situação”, explicou Gil Carvalho.

 

 

Os diretores da empresa expuseram dados com os prejuízos e ressaltaram que com a pandemia a situação piorou. “Eles relataram que o atual cenário pode fazer com que a AVOA deixe de oferecer o serviço de transporte público. Por isso, decidimos que vamos verificar junto ao Poder Executivo quais medidas podem ser tomadas, pois a população não pode ficar sem o transporte circular”, finalizou o presidente da Comissão.

 

Entenda o caso

A Empresa Circular Cidade de Ourinhos (CCO), do Grupo AVOA, divulgou na quarta-feira, 11 de março de 2021, que estava prestes a paralisar seus serviços de transporte público na cidade, devido à grave crise que se instalou na empresa, agravada pela pandemia do novo coronavírus.

Segundo a permissionária, os sucessivos regimes de quarentena impostos pelas autoridades governamentais por conta da pandemia têm afetado a economia de maneira geral, e, particularmente, o sistema de transporte público, setor que sofre com a vertiginosa retração de receita e que na cidade de Ourinhos, até o momento, não recebeu nenhum tipo de subsídio, incentivo fiscal ou apoio público para a manutenção desse direito constitucional e essencial à população.

 

 

Ainda sem uma solução à vista, a empresa teme um colapso no sistema de transporte público de Ourinhos, que afetará toda a população, pois, segundo ela, a inércia do município pode levar à inviabilidade do sistema público de transporte em Ourinhos, por absoluta falta de receita para o custeio das despesas básicas de operação. A CCO afirmou ainda que toda a situação já foi oficiada ao Ministério Público.

Desde o dia 1º de Abril a CCO está circulando com redução de linhas, fato que desagradou usuários que reclamam por conta dos horários e de supostas aglomerações dentro dos coletivos. Porém, segundo a empresa, ‘a medida de redução é paliativa para continuar ofertando transporte para a população’.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.