sábado, 15 de junho de 2024

Voluntários ajudam crianças vítimas de abuso e negligência no município de Ourinhos

Alexandre Mansinho

Por todo o Brasil há grupos de pessoas que, cansadas de esperar ações mais efetivas dos governos, resolveram arregaçar as mangas e auxiliar na resolução de problemas sociais. Em Ourinhos há, entre outros tantos grupos de voluntários dignos de aplauso, dois que se dedicam a um problema que por muitas vezes acaba passando despercebido: a negligência em relação às crianças e adolescentes.

“Negligência é um problema que existe em todas as camadas sociais, entre os mais pobres fica mais visível, mas há, nas famílias mais ricas, casos igualmente graves – quando uma criança é vítima de abuso, não é apenas culpa da família – todos nós, como sociedade, somos culpados. Quando vemos crianças se prostituindo, quando vemos crianças pelas ruas, quando vemos situações de abuso e nos calamos, acabamos sendo parte do problema e não parte da solução”, diz Ivone Maria Jaime, coordenadora do Grupo de Incentivo e Apoio à Adoção na Região de Ourinhos (GIAARO) que, desde 1994, se ocupa com o incentivo à adoção e à defesa dos direitos das crianças.

O GIAARO é parceiro das ações das secretarias municipais ligadas aos direitos da criança. Por meio desse trabalho conjunto houve muitos casos de sucesso, não apenas envolvendo adoção, mas envolvendo a reestruturação da família biológica das crianças abusadas: “não é interesse de ninguém que as crianças sejam abrigadas logo em um primeiro momento, precisamos encontrar alternativas humanamente mais adequadas para que essa criança tenha um lugar melhor para viver, e esse lugar é, primeiramente, a família”, completa Ivone Maria.

No Jardim São Carlos, bairro periférico do município de Ourinhos, há um grupo da Pastoral da Criança que acompanha atualmente cerca de 30 famílias auxiliando no combate à desnutrição e na prevenção de diversas formas de abuso: “temos um trabalho em conjunto com o Centro de Referência à Assistência Social (CRAS) e as Unidades Básicas de Saúde, as crianças participam das pesagens e do controle das carteirinhas de vacinação, essas ações acabam prevenindo os mais diversos casos de negligência, além de incentivarem o protagonismo dos pais”, diz Lúcia Pereira Rosa, líder da Pastoral da Criança na comunidade. “Alguns pais, infelizmente, não se empenham no cuidado dos filhos, muitas crianças assistidas acabam perdendo até benefícios sociais porque os pais não cumprem as obrigações”, completa. 

Qual a importância do trabalho voluntário?

O trabalho voluntário é uma atividade ligada à cidadania, já que envolve uma relação solidária com o próximo, além de ser uma excelente maneira de doação de tempo, talento, participação nas necessidades da sociedade. Mesmo que não houvesse corrupção nas esferas governamentais, seria impossível que o Estado atendesse a todas as necessidades dos mais carentes, por isso o trabalho voluntário ocupa lugar de destaque na promoção humana.

Este tipo de trabalho pode ser um remédio para aqueles que estão passando por dificuldades, por exemplo, angústia, tempo vago ou até mesmo depressão, já que as pessoas participam de atividades que envolve o bem estar e satisfação. De acordo com a ONU, o voluntário é aquela pessoa que tem interesse pessoal e espírito cívico, dedica parte de seu tempo (sem remuneração), as várias formas de atividades.

No dia 13 de maio, a Comunidade do Jardim São Carlos promoveu a II Festa da Mandioca, que tem renda em prol de todas as ações da comunidade, incluindo as ações da Pastoral de Criança: A comunidade fica na Rua Wagner Geraldo Tavares, 51 Jardim São Carlos, Ourinhos.

No dia 21 de maio o GIAARO promoverá a Caminhada Pela Adoção, o evento terá início na Praça da Matriz, Centro de Ourinhos, às 8h00m – camisetas do evento podem ser adquiridas pelo telefone: 14 3324-3780.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.