fbpx

sexta, 24 de junho de 2022

UNIFIO realiza 14° Encontro de Enfermagem e reúne público expressivo

Evento realizado pelo Curso de Enfermagem comemorou o Dia Internacional da Enfermagem

 

Rose Pimentel Mader

 

O Curso de Enfermagem do Centro Universitário de Ourinhos – UNIFIO realizou, nos dias 9 e 10 de maio, o 14º Encontro de Enfermagem, em comemoração ao Dia Internacional da Enfermagem. O evento aconteceu no Anfiteatro 3 (Irmãos Quagliato) do Campus Universitário da UNIFIO e contou com as presenças da pró-reitora acadêmica Glauka Archangelo, do secretário de Saúde de Ourinhos Donay Neto, professores, alunos e convidados.

Foram dois dias de muitos conhecimentos para os alunos e a comunidade em geral.

 

Alunos, professores, palestrantes e convidados

 

No dia 9, o Encontro teve como palestrante o Dr. Sérgio Aparecido Cleto, conselheiro do COREN, que abordou o tema: “Uma voz para liderar – Investimento na Enfermagem em respeito aos seus direitos para garantir a saúde global”. Outra palestra da noite foi realizada pelo médico Dr. Daniel Molinar, chefe de urgência em Lençóis Paulista, Bauru, Pederneiras e Agudos, cirurgião do aparelho digestivo e urologista, que abordou a temática:  “Transfusão de sangue é realmente a única alternativa”?

No dia 10, foi realizado o 1º Simpósio em Cuidados Paliativos, que contou com as presenças da psicóloga Amanda Miranda Tupiná Persiani, que apresentou o tema: “Psicologia em cuidados paliativos: Propostas de intervenções e assistência ao luto”; da enfermeira Jussara Bertoto, que abordou o tema: “O papel da Enfermagem nos cuidados paliativos”; da fisioterapeuta Milene Aline Côco Rafagnin que falou sobre: “Manejo e abordagem não invasiva da dispneia, VNI em paciente em fase final de vida: Faz sentido? Quando começar e quando parar?” e da médica Ângela Cristina Baer de Lara que abordou o tema: “Atuação do médico intensivista em cuidados paliativos e extubação paliativa”.

Segundo o coordenador de Enfermagem professor mestre Juliano Rodrigues Coimbra, “comemoramos em 12 de maio o dia dessa profissão secular, cujos bravos integrantes são os únicos a permanecer 24 horas por dia ao lado de um enfermo, os profissionais de Enfermagem”.

“Enfermeiros e enfermeiras que enfrentam uma longa história de preconceitos, como também careceram de esforço político significativo para conferir merecido destaque a esta categoria profissional”.

Coimbra ressalta que, “além de seu compromisso com a saúde, os profissionais de enfermagem se destacam pelo seu preparo. O profissional de enfermagem é peça fundamental na formulação das políticas públicas para a saúde”.

“Agradecemos a presença dos ilustres palestrantes que nos proporcionaram a oportunidade de compartilhar seus conhecimentos, da pró-reitora Glauka Archangelo, dos professores, alunos, membros da comunidade acadêmica e convidados que contribuíram para o sucesso do nosso Encontro”, afirmou professor Juliano Coimbra. “Parabenizamos os profissionais da enfermagem pelo seu trabalho edificante e incansável e que o exemplo da brilhante mulher, mãe e enfermeira, Ana Nery, nos norteie na reconstrução do Estado Nacional, neste momento ímpar da história brasileira. Que sua coragem, sua fibra e seu amor iluminem não somente os enfermeiros mas a todos nós”.

 

O Dia do Enfermeiro

 

O profissional enfermeiro conta com um símbolo de resistência, tenacidade, desprendimento, competência e coragem que é a personagem heróica, Ana Nery, mulher que aos 51 anos de idade, viúva, decidiu construir uma das mais belas páginas de heroísmo em meio à carnificina da Guerra do Paraguai (1865-1870). Proprietária de fazendas de fumo, cana-de-açúcar e algodão, viúva do capitão-de-fragata Isidoro Antônio Nery, Ana Nery poderia ter terminado sua vida como qualquer mulher de seu tempo, se não tivesse atendido ao chamado da história. Deixou prevalecer seu coração de mãe e decidiu acompanhar os filhos e os irmãos na guerra. Serviu de enfermeira voluntária, enfrentou a morte de perto para salvar muitas vidas, inclusive de inimigos da pátria, e se tornou um exemplo no mundo, como precursora da Cruz Vermelha no Brasil. Hoje, Ana Nery é cultuada como a Patrona dos Enfermeiros do Brasil. Poucos são os profissionais que tem como símbolo uma personagem como esta.

O exemplo de Ana Nery, influenciou e influencia até hoje todos os profissionais de enfermagem do Brasil, que continuam atuando, contra as dificuldades da Saúde no País. Além de seu compromisso com a saúde, o profissional de enfermagem é peça fundamental na formulação das políticas públicas para a saúde.

O enfermeiro não só desenvolve as atividades que lhe são mais específicas, nos hospitais e em outras entidades a que servem, como realizam levantamentos, fixam provisões e estabelecem controles cujos objetivos ultrapassam, a faixa de suas atribuições originais. O que se consome em medicamentos e material cirúrgico, quanto gastam e como gastam nessa área, tudo isso é objeto de anotações das quais é encarregada essa classe especial de trabalhadores. Esses registros tornam possíveis, não só o controle, como o próprio gerenciamento da Saúde e a formulação de estratégias para a área.

 

 

PreviousNext

 

© 1990 - 2021 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.