fbpx

sexta, 06 de agosto de 2021

MAX. º MIM. º
TEMPO:

IV Encontro da Consciência Negra realizado pelo Coletivo AMAKA do Centro Universitário UniFIO

Este foi o primeiro evento oficial do Coletivo AMAKA, recém batizado com nome de origem africana que significa “nobre, que sabe o que quer

 

Rose Pimentel Mader

 

O Coletivo AMAKA, criado por alunos e professores do Centro Universitário UNIFIO realizou, no dia 23 de novembro, o IV Encontro da Consciência Negra. O evento online teve como palestrante o fotógrafo e pesquisador Wagner Celestino e como mediadora a professora (Engenharias e Farmácia) Graciele Fernanda de Souza Pinto. Participaram da live a professora Sylvia Rodrigues (Artes Visuais) e as alunas Luana Caetano Hilário (Psicologia) e Stephane Américo Pinheiro (Arquitetura).

Este foi o primeiro evento oficial do Coletivo AMAKA, recém batizado com nome de origem africana que significa “nobre, que sabe o que quer”. Formado durante o ano de 2019, a proposta do coletivo é a de estar aberto a alunos, professores e funcionários da IES, reunindo todos os interessados no estudo das questões raciais, sempre apoiados pela UNIFIO. Pretende-se seguir com atividades programadas como leitura e debates, apresentação de filmes envolvendo questões relacionadas ao racismo, exposições, palestras e encontros com convidados (a princípio virtuais, por ocasião da pandemia).

 

Fotógrafo Wagner Celestino foi o palestrante do evento

 

O convidado da quarta edição do evento, Wagner Celestino, iniciou seu ofício no segundo semestre de 1977, como usuário do plantão fotográfico no Museu Lasar Segall, desenvolvendo os conteúdos básicos da fotografia.

Em 1997, a convite da Ong APOIO, fotografou os moradores de alguns cortiços da cidade de São Paulo, posteriormente transformado no livro Cortiços – A realidade que ninguém vê.

Participou de várias exposições entre as quais: Fundação Bienal de São Paulo – Auto Retrato do brasileiro (1985); Casa de Cultura do Itaim Paulista – SP (1992); Décima Semana de Arte da Poli-USP (1998); Pinacoteca do Estado de São Paulo – 500 anos do Descobrimento (2000); Semana da Consciência Negra – Prefeitura do Município de Santo André (2001); Acervo e Exposição Coletiva: Brasileiros, Brasileiro no Museu Afrobrasil – São Paulo (2004).

Atualmente desenvolve pesquisa fotográfica, utilizando a linguagem digital e abordando o universo das cores, luzes, grafismos, sombras e texturas. Com o tema Abstrações Fotográficas.

© 1990 - 2021 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.

×

Olá

Clique abaixo para falar conosco pelo WhatsApp ou envie um e-mail para [email protected]

×