quinta, 01 de outubro de 2020

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Água da SAEC levada a Ipaussu atendia abrigo de dependentes químicos

Além de atender pedido de socorro da entidade sem fins lucrativos, foi recolhida taxa referente ao volume de água entregue – 3 metros cúbicos

 

Da redação

 

Numa nova denúncia feita por José Aparecido Lopes contra o prefeito Márcio Burguinha de Jesus do Rêgo (PSDB), a SAEC (Superintendência de Água e Esgoto de Chavantes) é acusada de ter enviado um caminhão pipa para entregar água em “propriedade particular” na vizinha cidade de Ipaussu. Na verdade, a tal propriedade é a Associação “Restaurando Vidas”, mais conhecida por Casa de Apoio Kairós, que abriga pessoas em situação de rua e dependentes químicos, instalada numa chácara em rodovia de acesso a Ipaussu.

A entidade, que abriga atualmente 25 internos de forma gratuita, é dirigida pelo pastor da Igreja Batista Renovada, Luiz Carlos Sanches. Segundo ele, das 25 pessoas abrigadas atualmente, 2 são de Chavantes, sendo que mais duas da mesma cidade deverão ser acolhidas na Casa de Apoio nos próximos dias a pedido de amigos e familiares. “Já tivemos até 7 internos somente de Chavantes conosco, pela proximidade entre as cidades acabamos sendo uma referência para esse tipo de assistência”, conta o pastor Luiz Carlos. Fundada desde 2011, há 4 anos a Casa presta esse tipo de atendimento, dos quais, há 3 anos instalada nessa chácara.

A solicitação à SAEC veio em mais uma crise no abastecimento de água da entidade, considerando que, segundo o pastor, a prefeitura de Ipaussu não possui esse tipo de veículo para transporte de água. “Nossos dois poços secaram, ficamos numa situação muito complicada para a higienização e alimentação dos nossos 25 internos, por isso pedimos socorro a Chavantes”, relatou o pastor.

Conforme suas declarações, a Casa de Apoio Kairós acabou utilizando apenas 3 mil litros da água levada pelo caminhão pipa da SAEC – com capacidade para 15 mil -, já que as 3 caixas d’água disponíveis não comportam maior volume. De acordo com a superintendente da SAEC, engenheira Marilia César Grecco, o serviço de entrega da água à Casa Abrigo foi devidamente pago à autarquia, no valor de R$ 38,00 correspondente a quantidade de 3 metros cúbicos.

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.