fbpx

terça, 19 de outubro de 2021

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Casal acolhido pelo Samaritanos de Ourinhos já está empregado

Através da Comunidade, Valdir e Karina já tem um novo lar para viver com os filhos. A família ficou conhecida nas redes sociais após passar final de semana na Rodoviária de Santa Cruz.

 

Marcília Estefani

 

Após mobilizar uma multidão de internautas, o casal que passou o final de semana na rodoviária de Santa Cruz do Rio Pardo com os dois filhos, um menino de 2 anos e meio e uma bebezinha de 3 meses, finalmente já tem moradia e emprego para recomeçar a vida.

 

Valdir e Karina, já no novo lar

 

O Negocião conversou com o Pastor Jacks Michael dos Santos, responsável pela Comunidade O Samaritano de Ourinhos, e ele informou que Valdir, de 43 anos e Karina, de 25 anos, passaram a última semana como acolhidos no local, juntamente com os filhos, mas através de um contato da Comunidade, foram morar em outra chácara, onde vão trabalhar e morar.

“Na verdade, foi mais que um emprego, um casal amigo aqui da obra, que não tem filhos, moram em uma chácara, acabaram adotando essa família como filhos, e hoje eles já foram embora pra ajudar lá na chácara, eles estão muito bem, estão bem encaminhados graças a Deus”, contou o pastor.

 

RELEMBRE – O caso teve grande repercussão em Santa Cruz e região, principalmente após uma foto da família ser publicada na internet, junto com um pedido de ajuda. Entre julgamentos e orações, algumas pessoas indicaram e marcaram em seus compartilhamentos a Comunidade O Samaritano em Ourinhos, que tem feito um trabalho sério na cidade, através do acolhimento de pessoas em situação de rua e em estado de vulnerabilidade social.

 

Casal estava com as crianças na rodoviária de Santa Cruz (Divulgação redes sociais – Phillipe PH)

 

“Através de muitas marcações em nome da Comunidade, na noite do domingo, 7/8, o casal que estava em Santa Cruz entrou em contato explicando a situação em que se encontravam, muito se falou a respeito disso nesses últimos dias mas pouco foi feito, e entendemos as dificuldades em se lidar com a situação e com a demanda de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Hoje pela manhã estavam em Ourinhos e resolvemos ir até eles e conversar (…) explicamos o projeto da comunidade, colocamos a eles a vontade de ajudar e prontamente eles aceitaram, buscam por dignidade, esperança, não foi pedido nada por eles apenas um lugar para acolhe-los junto aos filhos”, contam os voluntários da Comunidade O Samaritano.

 

A família já na Comunidade O Samaritano em Ourinhos

 

Segundo Sr Jacks, o Valdir e Karina eram de São Paulo, foram para o Rio Grande do Sul trabalhar na colheita de maçã, onde ficaram por 4 anos. Depois deste tempo quiseram voltar para São Paulo, conseguiram um trabalho em Boituva e retornaram. Quando chegaram o patrão, ao saber que ela estava grávida, dispensou o serviço deles. Desde então estão peregrinando de cidade em cidade, buscando uma oportunidade e à mercê da política social de cada município.

“Nesses poucos dias conhecemos um pouco da história deles, não têm vícios, cuidam muito bem das crianças, sempre limpos, bem arrumados, aqui só nos pediram um teto e uma oportunidade de emprego”, explicou o pastor.

 

COMUNIDADE O SAMARITANO – A Comunidade Bom Samaritano trabalha com pessoas em situação de vulnerabilidade social e situação de rua. Conforme explicou o Pastor Jacks, “não é uma clínica para dependência química, mas uma casa de acolhimento, fazemos o trabalho de abordagem nas ruas, levamos coberta, alimento, roupa e quando as pessoas querem uma ajuda pra sair da rua nós levamos para a comunidade”.

 

A Comunidade O Samaritano de Ourinhos funciona hoje no antigo camping do Jaracatiá

 

Ainda segundo o pastor, na comunidade eles buscam sempre investir no ser humano. “Aqui tentamos fazer diferente, resgatamos e tentamos colocar essas pessoas na sociedade, com emprego e moradia investir no ser humano”.

 

A Comunidade hoje conta com 118 acolhidos, entre homens, mulheres e crianças

 

Jacks explica que a comunidade é aberta, que lá as pessoas são convidadas a participar do projeto. “Lá nós temos regras, é proibido uso de bebidas, de drogas, se pegar a alguém bêbado ou com drogas, a pessoa é desligada do projeto”.

A Comunidade hoje conta com 118 acolhidos, entre homens, mulheres e crianças, “temos seis famílias que estavam em situação de rua e agora estão acolhidas”.

 

Pastor Jacks na marcenaria da comunidade

 

Para manter a Comunidade, o pastor explica que não conta com verbas públicas. “A comunidade está em término de regularização da sua documentação, mas a tendência é que mesmo quando estiver tudo regularizado a gente não pleiteie verbas, porque nós acreditamos que um trabalho como este pode ser autossustentável, temos horta, marcenaria, oficina, os meninos e meninas passam por cursos profissionalizantes, o Senai tem sido parceiro nosso, o Sindicato Rural também, vivemos basicamente de doações, e do que produzimos aqui”.

 

Horta cultivada pelos acolhidos

 

O Samaritano conta com a renda de um bazar de roupas usadas que funciona em Santa Cruz, de onde conseguem tirar o dinheiro do aluguel e de parte da conta da energia elétrica. “A gente tenta produzir dentro da comunidade prá cobrir as nossas despesas. De alimentação consumimos a média de 4 toneladas por mês que chegam de doações de pessoas, algumas empresas que nos ajudam, então vivemos basicamente disto”.

A Comunidade O Samaritano de Ourinhos funciona hoje no antigo camping do Jaracatiá.

© 1990 - 2021 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.

×

Olá

Clique abaixo para falar conosco pelo WhatsApp ou envie um e-mail para [email protected]

×