domingo, 24 de maio de 2020

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Número de casos de dengue têm aumentado mesmo com o tempo seco

É necessário união entre municipalidade e população para evitar novos focos pela cidade

 

Marcília Estefani

 

Os casos de dengue continuam avançando em Ourinhos. Dados da Secretaria de Saúde atualizados nesta sexta-feira, 15, mostram que já existem 1.273 casos confirmados, sendo 1.225 autóctones e 48 importados. No dia 6 de abril, foi confirmada a primeira morte na cidade.

Praça dos Skatistas, onde é descartado garrafas pet, sacolinhas com lixo, embalagens de lanche e copinhos

 

Segundo Robert da Costa Ribeiro, Diretor da Vigilância em Saúde, os casos estão espalhados por praticamente todos os bairros da cidade. “A transmissão começou na região da Vl Christoni, Jd do Sol, Ideal, Industrial, Itajubi e Colorado. Depois houve grandes concentrações de casos na região do Jd Josefina, Vl Brasil, CDHU, Anchieta e Recanto dos Pássaros”.

Esquina das Ruas José de O. Campos e Aristides Lemes Trindade no Jd Industrial

 

Atualmente também foram registrados casos no Pacheco Chaves, Nossa Sra de Fátima, Ecoville, Itamaraty, Paris, Boa Esperança I e II, Vl Mano, Minas Gerais I e II,  Vl Vilar, São Carlos, Operária, Barra Funda, Nova Sá, Perino, Santa Fé I, II, Helena Brás, Brizola, Vandelena, Orlando Quagliato, Ouro Verde, Tropical, Primavera, Odilon, Cohab, Musa, Matilde I e II, Vl São José, Nazaré, São Silvestre, Kennedy, América, Sândano, Ouro Fino.

População não colabora e aproveita os terrenos baldios para descartar materiais e entulhos

 

A Prefeitura afirma que continua realizando ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, inclusive recolhimento de materiais inservíveis nos bairros. “A ação dos agentes tem se mostrado efetiva e a maioria dos criadouros estão sendo encontrados dentro dos quintais. Por isto é imprescindível que a população crie o hábito de vistoriar os seus quintais todos os dias”, afirma Robert.

Terreno no Jd Guaporé (se é que dá para ver o terreno) coberto de lixo, mato e entulhos

 

Porém muito lixo ainda é encontrado na cidade, em áreas verdes e até em praças públicas, como foi registrado pela nossa reportagem na última semana durante live e um giro pela cidade. Neste momento é necessária uma união de esforços para evitar novos focos que possam servir de criadouro para o mosquito.

Este terreno fica no Jardim do Sol, também usado para descarte de inservíveis

 

Além do lixo, a Kombi deixada no local pode se tornar um novo criadouro para o aedes aegypti em caso de chuva (Detalhe da placa de PROIBIDO JOGAR ENTULHO)

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.