fbpx

terça, 22 de junho de 2021

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Paciente da UPA afirma que seu acompanhante não agrediu médico

A mulher afirma que sofre com crises de ansiedade e seu esposo queria apenas que ela fosse atendida

 

Marcília Estefani

 

O Negocião conversou nos últimos dias, com uma paciente da UPA, envolvida em uma confusão dentro da unidade, quando, segundo o médico plantonista, o acompanhante da mulher, teria tentado agredi-lo. O profissional registrou uma ocorrência para garantir sua segurança.

Segundo a versão do profissional, de 28 anos, o fato aconteceu na noite da sexta-feira, 28, quando uma mulher com crise de ansiedade deu entrada no hospital e durante o atendimento, seu acompanhante teria tratado a equipe médica com agressividade, tentando agredir fisicamente o médico.

 

O OUTRO LADO – A munícipe M.C.G.C, negou que seu acompanhante e esposo, J.C., tenha agredido o médico. Ela contou que realmente deu entrada na unidade por conta de uma forte crise de ansiedade e que aguardava para ser atendida, quando seu marido percebeu que o médico estava sozinho na sala e ele pediu que o profissional atendesse a mulher, porém o mesmo respondeu que havia outras pessoas na frente.

“O médico levantou de sua sala e meu marido saiu atrás dele pedindo que me atendesse pois ele estava ali para aquilo e naquele momento não estava atendendo ninguém, mas não xingou, houve trocas de farpas, mas em momento algum meu marido tentou agredir alguém, nem a equipe de enfermagem, que a todo instante tentou ajudar”, disse a mulher, que contou ainda que o médico se recusou a medicá-la, e que sua versão está totalmente distorcida.

M.C. ressaltou ainda que a UPA é provida de várias câmeras que podem provar seu relato. “Não houve agressão, em momento algum meu marido tocou em alguém”, garantiu a munícipe.

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.

×

Olá

Clique abaixo para falar conosco pelo WhatsApp ou envie um e-mail para [email protected]

× Como posso te ajudar?