fbpx

sábado, 15 de janeiro de 2022

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Semana começa com novos desdobramentos sobre a terceirização da coleta em Ourinhos

Com pregão marcado para o dia 10 de janeiro, terceirização da coleta se torna realidade em Ourinhos

 

Marcília Estefani

 

A primeira segunda-feira de 2022 começou com manifestação por parte dos coletores ourinhenses. Na esperança de conseguir conversar com o prefeito, alguns profissionais, representantes da classe, se reuniram pacificamente na frente da prefeitura logo pela manhã, porém, não foram recebidos.

O objetivo dos servidores era ser ouvidos pelo prefeito, além de pedir a garantia de que serão criados na prefeitura os 55 cargos de coletores existentes na SAE, e que a coleta domiciliar não seja terceirizada.

O presidente do SINSERPO – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais e Autárquicos de Ourinhos, Ednilson Ribeiro, o Biguá, esteve presente e em entrevista ao Passando a Régua, afirmou que o problema entre os coletores e a administração pública é de fácil resolução, basta que o prefeito receba os coletores, ouça suas reivindicações e explique o que acontecerá com todos os profissionais. Ele disse ainda que Lucas pode, através de projeto enviado à Câmara, criar os cargos de coletores na prefeitura. “Ele só precisa dialogar com os servidores”, disse Biguá.

Ainda na segunda-feira, 3/01, Lucas Pocay recebeu em seu gabinete o superintendente da SAE, Inácio J. B. Filho, e cerca de seis representantes da coleta.

Uma matéria foi divulgada pela assessoria de comunicação da prefeitura, onde o prefeito reforça que “nenhum coletor ficará sem serviço e todos continuarão o trabalho pela Prefeitura, com estabilidade no cargo, sem perda salarial e pagamento em dia. Ou seja, nenhuma família ficará desamparada”.

A postagem ressalta também que “o Prefeito Lucas Pocay se reuniu na tarde desta segunda-feira (03) com os representantes da coleta e limpeza de Ourinhos para falar sobre a transferência do serviço para a Prefeitura, que os coletores que participaram da reunião esclareceram as dúvidas, entenderam o objetivo do projeto e se dispuseram a conversar com restante da categoria”.

Segundo os coletores, que desde o início se uniram em busca de seus direitos, os servidores recebidos pelo prefeito não os representam, eles nem mesmo têm participado das manifestações, são auxiliares de coletores e estão sendo “usados pela administração”. O sindicato também não participou da reunião.

 

TERCEIRIZAÇÃO DA COLETA JÁ É REALIDADE – De acordo com os fatos, a terceirização da coleta domiciliar já é realidade no município. O primeiro pregão (nº 80/2021) para contratação da empresa especializada para prestação de serviços contínuos de coleta, transporte, tratamento e destinação final de resíduos dos serviços de saúde (RSS) e cemiteriais, acontece dia 10 de janeiro, e foi lançado em 17 de dezembro, antes mesmo do projeto ser votado e aprovado na Câmara.

© 1990 - 2021 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.

×

Olá

Clique abaixo para falar conosco pelo WhatsApp ou envie um e-mail para [email protected]

×