quinta, 01 de outubro de 2020

MAX. º MIM. º
TEMPO:

A FEMM ofereceu valiosa contribuição para a vida cultural de Ourinhos

A instituição descobriu e despertou talentos e, ao abrir espaço para o desenvolvimento das artes plásticas, da dança, da música e do teatro, também influenciou na criação dos grupos culturais

 

Da redação

 

A Fundação Educacional Miguel Mofarrej contribuiu, de maneira decisiva, para o desenvolvimento da vida cultural em Ourinhos, tendo sido o berço das mais diversas manifestações artísticas – teatro, dança, música, artes plásticas, hoje consolidadas – que colocam o município no circuito cultural do Estado de São Paulo, como um dos mais importantes polos culturais.

 

 

A instituição descobriu e despertou talentos e, ao abrir espaço para o desenvolvimento das artes plásticas, da dança, da música e do teatro, também influenciou na criação dos grupos culturais, como o GAPO (Grupo de Artistas Plásticos de Ourinhos), GAMO (Grupo de Amigos da Música de Ourinhos) e de muitos outros que, nas últimas décadas, ajudaram a construir o patrimônio cultural de que Ourinhos tanto se orgulha, como as Escolas Municipais de Música e Bailado.

Os eventos e atividades idealizados e desenvolvidos no ambiente acadêmico das Faculdades Integradas de Ourinhos, hoje Centro Universitário UNIFIO e no Colégio Santo Antônio acolheram e promoveram artistas, muitos dos quais conquistaram espaço internacional e, também, atraíram nomes consagrados da região e do exterior.

 

 

O professor Francisco Cláudio Granja que nos deixou recentemente teve uma participação ativa na idealização de diversos eventos promovidos pela FEMM, entre os quais os Salões Abertos de Arte, juntamente com outros valorosos professores da instituição e colaboradores, e em outras atividades realizadas pela Fundação.

Professor da instituição, desde o início das Faculdades, Granja ocupava desde 2018 a honrosa função de curador do Museu de Arte, Cultura e Pesquisa do Centro Cultural Universitário Roque Quagliato.

 

Inaugurado pelo Centro Universitário UNIFIO, no dia 17 de dezembro de 2018, o Museu que abriga grandes obras de arte dos talentos de nossa cidade e região, só foi possível graças ao apoio incondicional e incentivo do industrial Roque Quagliato, presidente da FEMM e do Conselho Diretor e Mantenedor da instituição que designou o professor Granja para viabilizar este importante projeto cultural UNIFIO. Professor Granja, como sempre, realizou um trabalho louvável. Sua dedicação e amor às artes, certamente vão inspirar todos aqueles que estarão responsáveis pela continuidade deste projeto.

 

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.