domingo, 29 de novembro de 2020

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Entrega de cestas básicas atrasam e famílias sofrem pela espera

Segundo a prefeitura, a demanda aumentou muito e novas medidas para agilizar o processo foram implantadas

 

Juliana Neves

 

Desde o dia 23 de março, início do isolamento social decretado pelo governador estadual, a Prefeitura de Ourinhos iniciou a entrega de cestas básicas para as famílias em vulnerabilidade e baixa renda. Para isso, é necessário que estas pessoas liguem para as unidades do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) e façam um cadastro.

Durante este contato técnicos realizam uma pré-avaliação social solicitando dados pessoais, endereço e telefone. A fim de evitar aglomerações, as cestas básicas estão sendo entregues nas casas das famílias.

Segundo a Prefeitura de Ourinhos, cerca de 4.000 cestas básicas já foram entregues para famílias da cidade e a alta demanda tem causado o atraso na entrega das mesmas, bem como congestionamento nas linhas telefônicas dos CRAS.

Elisangela Alves Carsten, desempregada, mãe de duas filhas gêmeas de seis anos e com uma renda mensal de R$ 534,00 que vem da pensão das meninas, afirma que ainda não conseguiu ser atendida. “Acho interessante esta ação da prefeitura, pois há muitas famílias que necessitam desta ajuda, mas tentei ligar no CRAS do Recanto dos Pássaros e até agora não fui atendida, não consigo falar com ninguém”.

Elisangela afirma que ainda não conseguiu ser atendida

Gabriela Gonçalves Pinto, doméstica, casada, duas filhas, de quatro e um ano, que também é responsável pela sogra que mora no fundo de sua casa por ter a perna amputada, conta que está difícil esperar. “Liguei no CRAS da Vila Musa e depois de várias tentativas me atenderam. Me deram certeza da entrega da cesta básica, mas ainda não recebi. Estamos ficando sem alimentação em casa, aqui mesmo estou somente com meio pacote de arroz e meio litro de óleo”.

Gabriela procurou pelo CRAS da Vila Musa e aguarda a chegada da cesta

Situação semelhante de Katia de Oliveira, do lar, grávida e mãe de seis filhos. “Eu liguei no CRAS da Vila Musa e até agora não recebemos nenhuma cesta e estamos precisando muito, meu marido trabalha de pedreiro e está parado, então, estamos sem renda nenhuma”, fala a munícipe.

Katia procurou pelo benefício porque o marido está parado e estão sem renda nenhuma

PREFEITURA – Para agilizar a solicitação das cestas, a Secretaria da Assistência Social disponibilizou na última semana mais quatro linhas telefônicas de atendimento. São 16 canais ao todo, quatro em cada CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) do município. As cestas são entregues por caminhões do Supermercado São Judas e além dos veículos da Prefeitura que já realizavam as entregas, mais veículos foram disponibilizados para atender a demanda que aumentou muito devido à crise causada pela pandemia.

A procura pelas cestas aumentou muito e cerca de 4.000 já foram entregues

De acordo com a administração, cada caso deve ser analisado individualmente, a triagem é bastante rígida, pois há ocorrências de várias pessoas da mesma família realizarem o cadastro, e por isto não são aprovados, mas após a aprovação, a entrega tem demorado por volta de três dias, não mais do que isto.

 

TELEFONES PARA SOLICITAR CESTAS BÁSICAS:

CRAS 1 – Vila São Luiz – 3326-6764 / 99762-8357 / 99904-2470 / 99865-8268

CRAS 2 – Recanto dos Pássaros – 3324-2384 / 99832-2957 / 99842-4320 / 99887-3039

CRAS 3 – Vila Musa – 3322-8846 / 99851-5800 / 99845-8598 / 99683-1930

CRAS 4 – Parque Minas Gerais – 3335-3355 / 99603-8468 / 99871-2256 / 99856-7948

 

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.