segunda, 25 de maio de 2020

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Prefeitura deve gastar R$ 6 milhões em propaganda até o final deste mandato

Apesar de ser legal e autorizado pela Câmara, os valores são muito superiores se comparados a outros municípios de maior ou mesmo porte

 

Hernani Corrêa

 

O Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), vem reduzindo drasticamente os gastos de propaganda no Brasil. Um dos exemplos é o governo federal ter deixado de patrocinar clubes de futebol como Flamengo, Corinthians e outros.

Fizemos um levantamento e comparativo dos valores que as prefeituras de cidades da nossa região gastam com propaganda nos veículos de comunicação.

 

 

EM OURINHOS – A Prefeitura de Ourinhos gastou em 2019, praticamente de R$ 2 milhões em propaganda.

O levantamento foi feito por trimestre nos principais veículos de comunicação da cidade e da região (acompanhe nas planilhas). Os valores foram obtidos junto à Câmara Municipal de Ourinhos e no Portal da Transparência da Prefeitura.

 

 

ATUAL MANDATO – O prefeito Lucas Pocay, desde o início do seu mandato em 01/01/2017 até dia 26/03/2020, gastou praticamente R$ 4,8 milhões. Pela média, deve atingir praticamente R$ 6 milhões até o final do atual mandato.

 

 

PREFEITOS ANTERIORES – A prática é antiga, pois as administrações anteriores não ficaram muito atrás. Toshio Misato e Belkis Fernandes também gastaram valores equivalentes.

 

 

COMPARATIVOS – A cidade de Ourinhos tem, segundo estimativa 2019 do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – 113.542 habitantes. Comparamos os gastos de propaganda em 2019 com outras cidades de maior e mesmo porte em habitantes (veja planilha abaixo).

 

Assis, com 104.386 habitantes, gastou em 2019 apenas R$ 5 mil em carro de som para uma Campanha de Conscientização contra a Dengue. Segundo a assessoria de comunicação daquela cidade, uma parceria com uma faculdade local proporciona essa economia.

Marília, cidade com 238.882 habitantes, mais do que o dobro de Ourinhos, gastou em torno de R$ 1,2 milhão bruto no ano passado.

Bauru, com 376.818 habitantes, mais do que o triplo de Ourinhos, foram gastos R$ 1.437.165,25.

 

POSSÍVEL SUPER FATURAMENTO – Segundo apontamento do OSBO – Observatório Social do Brasil – Ourinhos – pode estar havendo super faturamento no valor das inserções cobradas pelas Rádios junto à prefeitura de Ourinhos.

De acordo com constatação feita pelo órgão, uma determinada emissora cobra em torno de R$ 7,50 o valor unitário da inserção de um comerciante local.  Da prefeitura, a mesma emissora recebe R$ 75,00, ou seja, dez vezes mais.

 

TRANSPARÊNCIA – Também, depois de atuação do Observatório, a prefeitura cumpre lei que determina que os veículos de comunicação publiquem os valores pagos de cada inserção em seus. Isto vem acontecendo nas Rádios, Jornais e outros veículos de comunicação.

 

ORGÃOS DE COMUNICAÇÃO – A reportagem procurou diversos veículos de comunicação da cidade. Diretores de rádios alegam que os valores praticados estão de acordo com tabela autorizada pela ABERT – Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão.

 

PREFEITURA – A Prefeitura de Ourinhos informou que os valores são autorizados pela Câmara Municipal pela legislação vigente. E que quem administra todo o dinheiro é a Agência Única Propaganda de Maringá, que venceu contrato de licitação renovado no início de 2019.

 

Veja abaixo a tabela completa de valores que passa de R$ 2 milhões que a prefeitura de Ourinhos gastou no ano passado.

 

 

 

 

 

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.