quinta, 01 de outubro de 2020

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Professor Granja – um legado de amor às artes

Segundo Dr Márcio Nacif, médico e músico, a morte de Granja deixa “um enorme vazio, que tenho receio de nunca ser preenchido”

 

Da redação

 

O GAMO (Grupo de Amigos da Música de Ourinhos), vem se juntar a outras manifestações de lembranças e homenagens ao querido Professor Granja, recentemente falecido.

Como um grupo de estímulo para a prática da música erudita em nossa cidade, atuando por mais de 40 anos, tivemos no Professor Granja um membro dos mais destacados.

 

 

Embora não tendo tido formação musical nesta área, Granja nos acompanhou durante todos estes anos participando ativamente das nossas atividades musicais.

Dotado de uma sensibilidade excepcional para as artes em geral, Granja buscava em nossas reuniões, aproximar esta sensibilidade a grande música que procurávamos cultivar.

E suas manifestações eram de críticas, perguntas, aplausos calorosos, palmas de pé, gritos de bravo, bravo!!!  E vinham mensagens de apoio e incentivo aos executantes, características fundamentais de sua atuação como incentivador cultural.

 

 

Nos anos que atuou como agente público – Secretário de Cultura e Diretor do Teatro Municipal – abriu-nos as portas do Teatro para as reuniões e participou com entusiasmo dos eventos que promovíamos com artistas, grupos musicais, orquestras de outros centros.

Como amigo pessoal, nos conhecemos no ano de 1974 quando viemos para Ourinhos para trabalharmos como médico.

Tinhamos longas conversas em que falávamos sobre tudo, arte, cultura, vida, planos… e sempre ele manifestava sua saudável rebeldia e incorformidade.

Felizmente a vida lhe permitu realizar seu maior sonho, o de criar o Museu de Ourinhos, localizado nas Faculdades Integradas de Ourinhos.

Com sua morte perdemos um grande amigo – muito afetivo, diferente como queria ser e muito divertido.

A cultura de nossa cidade tem uma enorme perda. Fica um enorme vazio, que tenho receio de nunca ser preenchido.

(Por Marcio Nacif)

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.