sbado, 28 de novembro de 2020

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Duas ocorrências de lesão corporal marcaram o último plantão policial em Ourinhos

As vítimas foram socorridas até a Santa Casa de Misericórdia, onde ainda se encontram internados

 

Marcília Estefani

 

Dois homens foram internados na Santa Casa de Misericórdia de Ourinhos na noite da quarta-feira, 28, vítimas de lesão corporal. Uma das ocorrências aconteceu no Jd Estoril, devido a uma briga entre um homem e uma mulher, e na outra, no Parque Minas Gerais, onde um borracheiro foi agredido por pessoas ainda não identificadas.

 Após discussão com a ex-mulher, um rapaz de 27 anos, morador da Vila Odilon, foi encaminhado até a Santa Casa com dois ferimentos causados por arma branca. De acordo com os registros do boletim de ocorrência, o casal teve um relacionamento amoroso por algum tempo, mas no momento se encontram separados. Na noite da quarta-feira, o jovem foi até a casa da ex-companheira, que tem 23 anos e mora no Jardim Estoril, onde após conversarem se desenvolveu uma discussão.

A moça, muito alterada, em posse de uma faca, acabou por agredir o homem com dois golpes, um em cada ombro. A vítima foi socorrida por familiares que o levaram até o hospital, onde foi atendido e medicado, ficando internado, em observação, sob a possibilidade de passar por uma cirurgia. Ninguém foi preso. O caso está sob investigação.

Borracheiro sofreu graves ferimentos no abdômen e passou por procedimento cirúrgico

R.F.A., 39 anos, que trabalha em uma borracharia na Rua João Hernandes no Parque Minas Gerais, foi agredido por pessoas ainda não identificadas, sofrendo sérias lesões na testa, abdômen, pescoço e joelho. Na tentativa de se desvencilhar dos agressores, o homem tentou entrar em um bar nas proximidades.

Ele foi socorrido pelo SAMU, e devido à gravidade das agressões sofridas no abdômen passou por um procedimento cirúrgico (“Laparatomia Exploratória”), e ficou entubado e sedado, não sendo possível os policiais conversarem com a vítima.

Na delegacia, a irmã do rapaz informou que o irmão trabalha como borracheiro na “Borracharia do Kadão”, e não soube dizer o motivo das agressões. O caso está sendo investigado pela polícia civil, e até o momento ninguém foi preso.

(Imagem ilustrativa/arquivo)

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.