fbpx

quarta, 08 de dezembro de 2021

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Um dos policiais acusados de executar foragido em Ourinhos tem prisão preventiva decretada

Subtenente, que já estava preso temporariamente, seguirá no presídio de Romão Gomes. O outro policial envolvido foi solto, mas segue investigado por alterar cena do crime

 

Da redação

 

A Justiça divulgou na última segunda-feira, 22/11, através do Diário de Justiça Eletrônico, a prisão preventiva do subtenente Alexandre David Zanete, 49 anos, um dos policiais investigados pela execução de um foragido da justiça em Ourinhos. O cabo João Paulo Herrera de Campos, 37 anos, também envolvido no caso, teve a liberdade concedida.

 

O crime aconteceu na noite de 20 de setembro, quando os policiais alegaram legítima defesa

 

Os dois policiais são investigados pela morte de Murilo Henrique Junqueira, de 26 anos, no Jardim São Carlos, no dia 20 de setembro. Embora os policiais tivessem alegado legítima defesa, a análise de imagens de câmeras instaladas no local concluiu que o rapaz não resistiu e não estava armado.

 

Toda a ação foi filmada por câmeras de segurança instaladas nas proximidades

 

O subtenente Alexandre é acusado de executar Murilo Henrique Junqueira, de 26 anos, que foi morto com três tiros quando já estava rendido e com as mãos na cabeça. Os dois policiais foram indiciados por homicídio qualificado um mês após o crime e estavam presos no Presídio Romão Gomes.

Conforme determinação do Ministério Público, Zanete agora segue preso e o cabo Herrera teve liberdade concedida. Ele não foi apontado como investigado pelo homicídio, apesar de eventual responsabilidade por fraude processual, suspeito de alterar a cena do crime. O processo segue em segredo de Justiça.

 

© 1990 - 2021 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.

×

Olá

Clique abaixo para falar conosco pelo WhatsApp ou envie um e-mail para [email protected]

×