fbpx

sexta, 24 de junho de 2022

Frei investigado por atropelar suspeito de furto em igreja ainda não prestou depoimento

O advogado do religioso, Doutor César Augusto Moreira, declarou que provavelmente o Frei não dará nenhum depoimento nessa fase de inquérito, reservando-se para a fase processual

 

 

Marcília Estefani

 

Intimado a depor na sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), na capital paulista, Frei Gustavo Trindade dos Santos, investigado por tentativa de homicídio após o atropelamento de um homem acusado de furto em uma igreja em Santa Cruz do Rio Pardo (SP), na noite do dia 7 de maio, não compareceu ao depoimento para o qual estava intimado na tarde da última quinta-feira, 19.

 

Frei Gustavo Trindade dos Santos, investigado por tentativa de homicídio. Foto: Reprodução redes sociais

 

O advogado do religioso, Doutor César Augusto Moreira, declarou que provavelmente o Frei não dará nenhum depoimento nessa fase de inquérito, reservando-se para a fase processual.

Se o padre tivesse sido ouvido, o depoimento seria encaminhado por carta precatória para a delegacia da Polícia Civil em Santa Cruz do Rio Pardo, onde foram registrados os fatos.

 

INVESTIGAÇÕES – O frei já teve dois pedidos de prisão negados pela Justiça. No dia 10 de maio, teve negado o primeiro pedido de prisão preventiva feito pelo delegado que investiga o caso, Valdir Alves de Oliveira.

Gustavo Trindade se apresentou no fórum de Santa Cruz na quarta-feira, 11, quando comunicou ao cartório criminal sua mudança de endereço.

Seu advogado de defesa confirmou que o frei estava mudando para o convento Santo Alberto Magno, no bairro de Perdizes, em São Paulo (SP), e que poderia ser encontrado na nova moradia a partir da quarta-feira, 18.

Um novo documento foi enviado à Justiça, no dia 12, com o parecer pela prisão do investigado, onde o delegado alegou que ele estaria dificultando a investigação, uma vez que ainda não havia se apresentado à polícia.

O juiz da Vara Criminal de Santa Cruz do Rio Pardo, Pedro de Castro e Souza, negou na segunda-feira, 16, o segundo pedido de prisão preventiva, com o argumento de que, embora haja gravidade na conduta, a Justiça entende que o frei não oferece risco, e que os advogados estão colaborando com as investigações.

Ainda de acordo com a polícia, o frei Gustavo é habilitado, mas estava com a carteira de habilitação vencida desde fevereiro de 2020 e deve, a princípio, responder administrativamente pela CNH junto ao Detran.

A polícia também apura o furto na secretaria paroquial, que aparentemente teria motivado a atitude do padre. Por esse crime, Ângelo Marcos dos Santos Nogueira, 40 anos, autor do delito, foi preso em flagrante e deve passar por audiência de custódia quando receber alta do hospital.

 

VÍTIMA EM ESTADO GRAVE – Ângelo Marcos, também conhecido por ‘Anjinho’, foi flagrado por câmeras furtando a casa paroquial da Igreja São Sebastião momentos antes de ser atingido por um carro da Diocese de Ourinhos, dirigido por Frei Gustavo.

 

Momento do atropelamento

 

Ângelo estava internado na Santa Casa de Santa Cruz do Rio Pardo em estado grave, e precisou ser transferido para hospital em Ourinhos. Além dos diversos ferimentos sofridos ao ser atropelado, ele contraiu uma infecção hospitalar segundo sua advogada. Seu estado de saúde é estável, porém ainda grave.

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA DIOCESE DE OURINHOS – Através de nota, a Diocese de Ourinhos e a Ordem dos Frades Pregadores, a qual o Frei pertence, informaram que “dado o ocorrido, Frei Gustavo, 37 anos de idade, 1 ano de ordenação presbiteral, que iniciou o seu ofício há menos de dois meses, na referida paróquia, foi afastado de suas funções religiosas e se encontra disponível para livremente cooperar com a Justiça”.

Ainda conforme o comunicado, o padre está arrependido pelo ato e pede orações pela saúde do homem atropelado.

 

© 1990 - 2021 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.