segunda, 15 de abril de 2024

Justiça marca primeira audiência de irmãs acusadas de matar idoso e descartar corpo em sacos plásticos

Corpo de Donizeti Rosa, de 60 anos, natural de Gália (SP), foi encontrado no centro de Marília (SP). Câmera de segurança registrou as rés Wania Santos Silveira e Andrea Santos Silveira de Sousa arrastando saco com o corpo.

 

Da redação

 

A 3ª Vara Criminal de Marília (SP) marcou para o dia 13 de julho a audiência em que serão interrogadas as irmãs Wania Santos Silveira e Andrea Santos Silveira de Sousa, acusadas de matar um idoso de 60 anos em novembro do ano passado.

O corpo da vítima, Donizeti Rosa, foi encontrado envolto em sacos e panos, já em decomposição, o que dificultou inclusive a sua identificação. Câmeras de segurança mostraram as duas mulheres carregando o corpo já embalado em sacos e panos do prédio em que o idoso vivia para a rua.

 

 

Elas foram indiciadas pela Polícia Civil no final do ano passado e o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) ofereceu a denúncia contra a dupla em março deste ano.

A Justiça tornou-as rés em abril deste ano, conforme publicação no Diário Oficial do estado. Elas tiveram a prisão preventiva mantida.

Na audiência de instrução, debates e julgamento, marcada para o mês que vem, testemunhas também devem ser ouvidas. O juiz ainda deve analisar um pedido de avaliação sobre possível dependência toxicológica e de sanidade das acusadas. O procedimento será por teleconferência.

Segundo consta na denúncia da promotoria, as irmãs “amarraram Donizeti em uma cadeira e o deixaram sem qualquer alimentação ou hidratação causando-lhe, assim, intenso e desnecessário sofrimento físico e psicológico”.

Diante do quadro, a vítima acabou morrendo, segundo o MP-SP, para quem a prática acabou “revelando, brutalidade além do comum e em contraste com o mais elementar sentimento de piedade”.

 

 

Entenda o caso: Durante as investigações, também ficou constatado que a vítima, de 60 anos, era pessoa debilitada e que não tinha condições mínimas de se defender, uma vez que uma das indiciadas confessou ter agredido fisicamente o idoso momentos antes da morte dele.

Além disso, a apreensão do cartão bancário da vítima com as indiciadas, mesmo após o corpo ter sido encontrado, indica que elas tentariam continuar os saques da conta bancária, podendo, inclusive, causar prejuízos ao INSS, pois o idoso era aposentado.

Wania Santos Silveira e Andrea Santos Silveira de Sousa, vindas de Minas Gerais, eram cuidadoras do idoso e tiveram as prisões temporárias decretadas pela Justiça por 30 dias no dia 10 de novembro.

As mulheres, de 49 e 52 anos, foram detidas pela Polícia Militar um dia após o corpo ter sido encontrado. A princípio, elas negaram o crime. No entanto, uma câmera de segurança no centro de Marília registrou as duas arrastando o saco com o corpo.

O delegado Luís Marcelo, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), confirmou que, quando a PM chegou ao local onde o corpo de Donizeti Rosa, natural de Gália (SP), foi encontrado, a equipe suspeitou das duas mulheres e as encaminhou à delegacia.

Fonte: g1

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.