terça, 18 de junho de 2024

A médica veterinária Vanessa Ferrari Junqueira nos deixou

Rose Pimentel Mader

“Existe uma fazenda no céu onde todas as nuvens são feitas por sete fadas. Esse lugar é também conhecido como: Reino Nuvenlândia”, escreveu Vanessa Ferrari Junqueira, num livro infantil publicado em 2012 que registrou numa obra literária um maravilhoso espetáculo musical, apresentado no dia 29 de novembro de 2011, no anfiteatro do Colégio Santo Antônio Objetivo. No último fim de semana, Vanessa, autora de “Fazenda das Nuvens – no Reino Nuvenlândia”, embarcou inesperadamente para uma viagem certamente para este reino que idealizou, para viver na Casa do Pai. 

Em meio à imensa dor e profunda tristeza que a sua partida provocou em nossos corações, uma certeza nos conforta: Vanessa pegou carona numa nuvem levando na bagagem sua grandiosa fé, o amor em Deus e a todos os seus, a bondade, a paz e as alegrias que semeou, cultivou e espalhou entre nós. Vanessa foi se juntar às fadas do céu, de onde sempre estará olhando e orando por nós, atenuando a nossa saudade, secando as nossas lágrimas.

Vanessa não morreu, ficou encantada, como diz o poeta, e estará sempre guiando o caminho de suas filhas e vivendo dentro de nós, através das boas lembranças que deixou. 

Solidariedade – Vanessa Ferrari Junqueira, 41 anos, faleceu na madrugada do domingo dia 13 de março, no Hospital do Coração, em Londrina (PR), em decorrência de embolia pulmonar e foi sepultada em Ourinhos na segunda-feira, 14 de março, no Cemitério Park – Memorial Garden, num clima de grande tristeza e comoção. No Adeus à Vanessa, a família recebeu uma das mais comoventes manifestações de solidariedade dos parentes, amigos e membros da comunidade ourinhense que foram expressadas através de dezenas de coroas de flores, muitas mensagens e orações de conforto de vários grupos de oração da comunidade católica ourinhense, em homenagem a uma mulher guerreira, católica fervorosa, que amava a vida e desejava continuar vivendo, como bem disse o padre Ademir, seu amigo.

A Fundação Educacional Miguel Mofarrej (FEMM) decretou luto oficial em homenagem à Vanessa e solidariedade à sua família, suspendendo as atividades da instituição. Dirigentes, mantenedores, professores, funcionários e colaboradores da FEMM, FIO e CSA Objetivo compartilharam com a família o momento doloroso, manifestando seu apoio e amizade. 

Família – Médica veterinária, membro do Conselho Diretor e Mantenedor da Fundação Educacional Miguel Mofarrej (FEMM), instituição mantenedora do Colégio Santo Antônio Objetivo e das Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO), Vanessa era filha do industrial Nildo Ferrari, vice-presidente da FEMM, diretor da Caninha Oncinha e diretor presidente da Cervejaria Spoller, com sede em Londrina e de Vildenice Barbosa Ferrari; neta de Nilo Ferrari e Luiza Moia Ferrari e de Ciro Barbosa e Wilma Gatti Barbosa, famílias tradicionais, empreendedoras e pioneiras do parque industrial ourinhense.

Viúva de André Junqueira, Vanessa deixou duas filhas Stefany, de 7 anos e Sabrina de 11 anos, o irmão Nilo Ferrari Neto casado com Milene, as sobrinhas Nicole, Caroline e Lisie, os primos irmãos e padrinhos Giovanna e João Alison de Mello, demais familiares e muitos amigos, os quais Vanessa definiu bem na dedicatória que fez em seu livro: “Minhas filhas amadas; meu marido e grande incentivador; minha mãe virtuosa; meu pai visionário; meu único e querido irmão; minhas sobrinhas; meus avós contadores de história….”

Vanessa Ferrari Junqueira era ourinhense de nascimento e de coração; nasceu em 3 de novembro de 1974 e desde criança gostava de imaginar e ouvir histórias especialmente sobre animais. E foi essa paixão pela natureza que a levou a cursar Medicina Veterinária na Universidade de Marília (UNIMAR) onde se formou em 1999. Casou-se em janeiro de 2002 e foi morar no Estado do Mato Grosso do Sul, onde exerceu práticas em reprodução de bovinos e planejamento de pastagens, até o final de 2004. Retornou a Ourinhos para o nascimento de sua primeira filha e assumiu o cargo de assessora da diretoria de empresas da família, até o nascimento da segunda filha, em 2009. A dádiva de ser mãe transformou seu modo de ver e sentir o mundo, e foi a chave do autoconhecimento de um dom revelador, que é o de imaginar e escrever histórias. E assim fez um belo dia, olhando para o céu, soltou a imaginação do ponto de vista mais puro e livre que uma criança poderia sonhar, e descreveu um reino onde existiam fadas fazendeiras de nuvens…. E nasceu ali, sua primeira obra infanto-juvenil, pelo amor às filhas e por todas as crianças, seres puros e maravilhosos, que elevam e extraem do coração sublimes sentimentos.

A obra antes mesmo de ser encadernada foi apresentada no anfiteatro do Colégio Santo Antônio Objetivo, como musical “Reino Nuvenlândia”. O espetáculo marcou o encerramento do ano letivo como parte das comemorações pelos 40 anos da Fundação Educacional Miguel Mofarrej, teve a participação dos alunos do Ensino Fundamental e foi apresentado para platéia expressiva, formada por familiares dos alunos e toda a equipe escolar.

O apoio incondicional do vice-presidente da FEMM Nildo Ferrari e de sua esposa Vildenice, foram de extrema importância para a realização desse espetáculo, cujo objetivo foi manter a tradição cultural do colégio.

O amor pelo Colégio Santo Antonio – Ex-aluna do Colégio Santo Antônio Objetivo, Vanessa cultivava um amor pela instituição onde estudou da Educação Infantil até o segundo ano do Ensino Médio quando mudou-se para Curitiba para concluir os estudos no Colégio Positivo. Ingressou em Medicina Veterinária na UNIMAR e depois de formada traçou todos os seus planos de futuro tendo como referência a cidade natal, a tradição e o espírito empreendedor da família. Sempre foi uma entusiasta e apoiadora do pai Nildo Ferrari ao longo dos mais de 25 anos à frente da FEMM, inicialmente como presidente e agora como vice.

Seu carinho pelo Colégio e interesse na educação infantil a levaram a idealizar um projeto inovador e moderno para ser implantado na instituição. Convenceu o pai e o ajudou de forma efetiva na construção do novo prédio do Colégio que hoje abriga a Educação Infantil. Vanessa inspirou o pai a buscar novos recursos e tecnologia que viabilizassem uma estrutura compatível com as necessidades do processo ensino aprendizagem de nosso tempo, acolhendo as crianças desde o berçário até o 1º ano do Ensino Fundamental.

“Vanessa tinha idéias e projetos audaciosos e os abraçava com toda a força de sua juventude e do desejo de proporcionar uma educação melhor para as crianças. Graças ao seu apoio e incentivo construímos o novo prédio da Educação Infantil”, afirmou Nildo.

Vanessa também contribuiu para reformar a gruta do Colégio e cuidou pessoalmente do restauro da imagem da santa. Adorava a fanfarra do Colégio, contribuiu para a sua reestruturação e ao lado das filhas participava ativamente das apresentações, assim como de todos os eventos e atividades do Colégio não só como mãe e filha de um dos dirigentes da instituição, mas como uma ex-aluna apaixonada pela escola onde recebeu toda a sua formação básica e fundamental. Tinha um imenso carinho pelas irmãs da Congregação da Imaculada Conceição e sempre se colocou como uma colaboradora para preservar a tradição do Colégio e ajudar na construção de seu futuro.

“Vanessa não gostava de ostentação, apreciava muito a convivência familiar, se dedicava integralmente às filhas e as atividades que abraçava para colaborar com o pai. Seu foco desde adolescente era a criança e foi assim que muitas vezes ia ao Colégio como contadora de histórias. Era carismática, devota de Nossa Senhora e cultivava uma fé inabalável em Deus. Só tinha amor e bondade em seu coração”, afirmou a mãe Vildenice.  

Espírito empreendedor – Vanessa estava matriculada na UNOPAR, em Londrina, onde estava morando desde o final do ano passado, para cursar pós-graduação em Marketing. Nos últimos meses, assumiu de forma efetiva as suas atividades nas empresas da família. Tinha muitos projetos como a Boutique de produtos da Cervejaria Spoller para comercializar a preço de custo diversos itens como camisetas, bonés, copos; cuidava também da criação de novos rótulos e estava empenhada na realização de várias pesquisas, contou Nildo.

“Vanessa estava realizando pesquisas para fazermos o aproveitamento da levedura da cerveja. Além disso, também estava empenhada no processamento do bagaço do malte; estava estudando para transformar o bagaço em ração animal. Ela era audaciosa, empreendedora, interessada em inovações e estava entusiasmada com o seu trabalho e os novos projetos e estudos”, disse Nildo.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.