quinta, 18 de abril de 2024

A Ourinhos de ontem e a de hoje se misturam na memória do povo

A memória é a maior herança de uma cidade e isso inexoravelmente será reconhecido através da sua história diante das gerações futuras

 

José Luiz Martins

 

Na busca pela preservação da memória são muitas as fontes de valor histórico que irão conduzir a pesquisa e suas conclusões. Essas fontes vão de monumentos, construções, documentos, jornais, livros, mapas entre outros, além, é claro, das pessoas.

Qualquer coisa do passado que nos ajude a aprender com o que aconteceu é um documento de valor histórico. A fotografia por exemplo, é uma réplica exata da realidade, é muito útil como fonte documental e possibilita descobrir mais sobre um determinado período, um lugar, acontecimentos.

É a lógica existente conectando cada indivíduo em uma cidade ao movimento da história em seu constante estado de transformação. A memória é a maior herança de uma cidade e isso inexoravelmente será reconhecido através da sua história diante das gerações futuras.

Na memória dos ourinhenses, o ontem e o hoje ainda se misturam, e é recorrente nas rodas de conversas as comparações de espaços públicos, das primeiras vilas, do nosso início, que embora “vivo” conta hoje com grandes e belas mudanças. É Ourinhos rumo ao futuro, rumo a estação final!

PreviousNext

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.