sexta, 01 de março de 2024

A Polícia, o Respeito e a Matança

Roberto Zanoni Carrasco – Advogado

Lamentavelmente nossa cidade ficou marcada nos últimos dias por episódios tristes de mortes, notícia de aumento de roubo, furto etc. Existem promessas das Polícias Civil e Militar de esforço conjunto no combate à criminalidade, mas isto não é tudo!

Atualmente as duas polícias contam com cerca de metade do efetivo que realmente deveriam ter para atender nossa cidade; o número de policiais é o mesmo, aproximadamente, que há 20 anos atrás.

Sem favor algum, posso afirmar que a culpa pelos episódios não são dos policiais de nossa cidade, senão de governos e políticos que prometem e nunca cumprem os investimentos adequados na segurança, como também ocorre na saúde, educação etc.

A questão não é quanto é investido nesses setores, mas o que efetivamente funciona em prol da população. Acredito, sem dúvida alguma, que grande parte do problema social que temos é a falta, para muitas pessoas, da gentileza, do respeito e da valoração da própria vida. 

Uma vez perdida a sensibilidade para com o próximo, passamos a viver absolutamente voltados cada qual para si mesmo. Muitas pessoas que vivem como amantes de si mesmos têm atitudes de desrespeito a família, aos amigos, ao patrimônio alheio, e também à vida do próximo. 

Os valores que deveríamos atribuir às pessoas já não são absolutos como antes, muito dos valores vitais à convivência em grupo está relativizado. Uma vez perdido o respeito e os valores que as pessoas representam (um para o outro), a vida (do outro e muitas vezes de si mesmo) perde a importância devida! 

O amor ao próximo está abaixo, apenas, do amor a Deus e em pé de igualdade com o amor próprio – amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo! 

Zelemos, pois, pelo respeito, gentileza, camaradagem e amor pelo próximo, objetivando uma sociedade mais justa, paciente, harmoniosa e gentil!

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.