fbpx

sexta, 24 de junho de 2022

Antenas parabólicas não captarão mais sinal no Brasil a partir de junho

José Luiz Martins

 

A grande maioria não sabe, mas, quem ainda utiliza a antena parabólica para sintonizar canais de televisão aberta não terá mais o sinal via satélite captado em seus aparelhos. Esse sistema de recepção de sinais pela banda C deixará de funcionar em breve para canais de TV com a implantação do sinal de telefonia 5G no Brasil, que utilizará a mesma frequência (3.3 até 3.7 GHz) das antenas parabólicas.

Segundo a Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações, não será possível ter o 5G e o sinal de antena parabólica funcionando ao mesmo tempo no mesmo espectro de frequência, assim a Anatel decidiu tirar definitivamente o sinal analógico da antena parabólica no dia 30 de junho.

Hoje no Brasil cerca de 70 milhões de domicílios ainda utilizam a parabólica e para continuar a sintonia de canais de televisão aberta via satélite por meio desse tipo de antena mesmo a digital vai precisar trocar de equipamento.

Amadeu Guilherme Cruz técnico e comerciante de equipamentos do Atacadão das Antenas

 

Amadeu Guilherme Cruz, técnico e comerciante de equipamentos do Atacadão das Antenas, diz que muitas pessoas em Ourinhos estão preocupadas porque ainda usam antenas parabólicas para ver TV, e aos poucos vários canais já saíram do sistema analógico e quando o sinal sair do ar totalmente os aparelhos terão de ser substituídos.

“As antenas instaladas até poderão ser reutilizadas, mas os receptores serão outros e funcionarão em outra banda de satélite. As parabólicas não sairão do mercado, os fabricantes já estão se preparando para lançar equipamentos novos configurados e com mais canais disponíveis e todos com o sinal digital em outra frequência e satélite, a banda KU”.

Segundo o profissional, a migração da parabólica da banda C para a banda KU será um incomodo e trará despesas para muita gente, mas todo o país terá cobertura por um sinal digital de alta qualidade e com imagem em HD. “Terão que comprar o equipamento pra adaptar no que já está instalado ou comprar os novos que até já tem para venda e custa, com receptor mais o componente LNB uns 700 reais. E pelo que tem sido divulgado, chegará a ter mais de 50 canais abertos, não tem custo de assinatura. Sem contar que internet com o 5G vai ter alta velocidade”, destacou.

 

ANTENAS E RECEPTORES GRATUITOS PARA POPULAÇÃO DE BAIXA RENDA – Desde o último dia 11, a Anatel vem publicando no Diário Oficial da União a lista dos canais que vão mudar de satélite. O processo de atualização será irreversível e as pessoas que ainda usarem esse tipo de TV pela antigas parabólicas terão que procurar meios de instalação dos equipamentos atualizados mais modernos.

Porém, para as operadoras de telefonia que forem operar no sistema do 5G no Brasil ficou determinado que terão que distribuir gratuitamente receptores e antenas menores para aquelas famílias de baixa renda que utilizam parabólica.

O sinal analógico será desligado completamente, por isso vai ter outra vez distribuição de kits de graça de tv digital. O mesmo foi feito quando da migração do analógico das anteninhas comuns para o sinal digital, o governo distribuiu antena e receptores digitais para quem tinha TVs sem aquele conversor”, destaca Altair José de Melo da New Sat Antenas.

Altair José de Melo da New Sat Antenas e a esposa

 

De acordo com Altair as vendas de parabólicas despencaram faz um bom tempo, mas tem muita gente em Ourinhos e cidades da região que mantiveram as antenas e ainda assistem Tv por esses aparelhos.

“Não é como antigamente, não sei te dizer a porcentagem, mas, muitas casas ainda usam essas antenas, só pega tv aberta que ainda mantém os canais transmitindo. Eu vendo esse equipamento de várias marcas e hoje quem compra é quem mora em sítio ou em lugar onde não tem internet. De agora em diante será tudo digital com equipamento preparado para ter o sinal de outro satélite”, revela.

 

 QUEM TEM DIREITO – Para quem ainda não possui TV digital e não tem condições de adquirir um conversor e antena, o kit contendo o do equipamento poderá ser adquirido gratuitamente, basta ser cadastrado em um dos programas sociais do Governo Federal, com cadastro ativo no CadÚnico.

Nos municípios as prefeituras são responsáveis por manter atualizados os cadastros dos domicílios das famílias de baixa renda, assim as famílias que se enquadrarem para o CadÚnico terão acesso ao equipamento sem nenhum custo.

Quem ainda não está inscrito, pode procurar o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) em sua cidade e requisitar o cadastramento. O responsável da família, preferencialmente uma mulher, deve apresentar o CPF ou Título de Eleitor, comprovante de endereço como conta de água ou luz.

 

 

 

 

© 1990 - 2021 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.