quarta, 22 de maio de 2024

AS CRIANÇAS E AS TELAS: Quanto tempo meu filho pode ficar nas telas?

A SBP Sociedade Brasileira de Pediatria orienta limites de exposição de acordo com a faixa etária

 

Solange Fecarotta

 

Celulares, tablets, iPads, iPod’s, televisão, vídeo game…Com a presença cada vez maior desses aparelhos no dia a dia, as crianças são expostas precocemente e tendem a passar um tempo excessivo nesses equipamentos, o que pode trazer uma série de prejuízos à saúde.

 

As crianças são expostas precocemente e tendem a passar tempo excessivo nesses equipamentos

 

A luz emitida por esses equipamentos pode levar a distúrbios do sono, como insônia e agitação. Além disso, o uso excessivo de telas aumentou o número de pacientes que desenvolveu miopia causada pelo intenso trabalho visual para perto.

Temos visto pacientes que desenvolvem estrabismo convergente agudo com visão dupla (diplopia) muito incômoda, causada pela dificuldade em relaxar os músculos oculares que foram muito estimulados para perto.

 

Além das alterações visuais os pediatras notam que algumas habilidades motoras ficam comprometidas

 

Além dessas alterações visuais os pediatras notam que algumas habilidades motoras também ficam comprometidas, como correr e saltar, equilibrar e rolar, arremessar, chutar, agarrar, além da obesidade e bruxismo.

 

AFINAL, QUANTO TEMPO PERMITIR?

A SBP Sociedade Brasileira de Pediatria orienta limites de exposição de acordo com a faixa etária. Vale lembrar que o uso desses equipamentos deve ser supervisionado por um adulto para evitar o acesso aos conteúdos inadequados, mesmo dentro dos limites de tempo!

 

A SBP orienta limites de exposição de acordo com a faixa etária

 

TEMPO DE USO:

  • Menores de 2 anos: NÂO DEVE SER USADO
  • Entre 2 e 5 anos: até 1 hora por dia
  • Entre 6 e 10 amos: até 2 horas por dia
  • Adolescentes entre 11 e 18 anos: até 3 horas por dia. Nunca “ virar a noite “em jogos.
  • Todas as faixas etárias: nada de teclas durante as refeições e desconectar 1 a 2 horas antes de dormir. A criança ou adolescente que come assistindo telas não mastiga corretamente, não sente o sabor dos diferentes alimentos e NÃO CONVERSA comprometendo a convivência familiar e seu contato com o mundo real.

 

Algumas orientações são necessárias também para adultos

 

PANDEMIA: como controlar o tempo de uso dos eletrônicos?

Com a pandemia e aulas online houve um aumento de horas de tela, o que pode levar a um problema maior na saúde visual. Algumas orientações são necessárias não só para as crianças, mas também para adultos que trabalham home office:

 

Com a pandemia e aulas on line houve um aumento de horas na tela

 

  • Usar as telas lembrando do esquema 20/20/20. Explicando melhor: usar a tela 20 minutos, descansar 20 segundos olhando para longe a 6 metros (20 pés na nomenclatura oftalmológica). Esse descanso é importante para relaxar os músculos que ficaram ativados na convergência para perto.
  • Cuidado com ar-condicionado e ventilador pois ressecam os olhos dando desconforto pelo olho seco, coceira, olho pesado, sensação de areia, ardência.. Isso também acontece porque o piscar de olhos que normalmente é de 15 a 20 vezes por minuto diminui pela metade durante o uso das telas.
  • Está liberado o uso para contato afetivo com parentes que estão em distanciamento social principalmente avós e netos, através de vídeo conversas e aí se incluem os pequenos que nasceram nesses tempos difíceis da pandemia.

 

Algumas orientações são necessárias também para adultos

 

* Solange Fecarotta é ortoptista, da Otto Clínica Oftalmológica

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.