sábado, 15 de junho de 2024

Coluna da Dani Mendes: A CRISE E O ÓLEO DE COCO

Em tempos de crise a primeira coisa que se deixa pra trás são os supérfluos. E eu tive que abandonar a Rose, minha manicure, amiga e confidente. Mandei amolar os alicates por R$ 25,00, recuperei os esmaltes espalhados pelas gavetas e assim que as primeiras cutículas começaram a aparecer lá fui eu. Economizei trintão do dinheiro da Rose. O problema é que o dedão da mão esquerda adquiriu um tom verde arroxeado e purulento que a situação começou a ficar preocupante. Nada que R$ 60,00 de anti-inflamatórios e mertiolate não dessem jeito. Agora, se as mãos estão em situação queixosa imaginem os pés. Esses dias levantei da cama e fui andando para o banheiro, percebi que algo se arrastava atrás de mim. Quando olhei pra baixo vi que a coberta estava presa aos meus calcanhares. Vocês conhecem a dinâmica do velcro, quando uma coisa fofinha gruda numa coisa espinhosa e áspera. Meus calcanhares não eram a coisa fofinha.

Ainda na seara da beleza e perfumaria posso dizer que a crise gera redescobertas. Depois que todos meus cremes caros acabaram, achei um pote enorme de óleo de coco que comprei algum tempo atrás como o elixir do emagrecimento. Na época não deu nada certo, apenas algumas complicações intestinais. Agora o óleo de coco é minha única fonte de cuidados com a beleza. Uso para tudo: lábios rachados, óleo de coco, pontas duplas, óleo de coco, linhas de expressão, óleo de coco, verrugas, transpiração nas axilas, acne, celulite, dermatite, estrias, micose, eczemas e hidratação, tudo se resolve com o óleo de coco. O único problema é o cheiro, sair andando por ai como uma cocada humana, mas a crise requer sacrifícios.

 

Outro esquema importante para aguentar a crise é evitar supermercados. Fujo deles como o ateu foge da homilia. Os preços estão totalmente enlouquecidos. A maneira mais sociável para evitar o supermercado é aceitar todos aqueles convites para almoços e jantares que sempre lhe fizeram e você nunca foi. Você se diverte com os amigos mais próximos, se reaproxima dos amigos do ensino médio, confraterniza com os colegas de serviço, estreita os laços com parente distantes, e o melhor de tudo, come churrasco de graça todo fim de semana.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.