sábado, 15 de junho de 2024

Coluna Poucas & Boas 11 a 17/03

TRAPALHADAS – A Ouvidoria Municipal foi criada para ser um canal de comunicação entre o público e a administração. Ali é o lugar para sugerir ações ou criticar um serviço que não tenha sido bem feito. Mas em Ourinhos quando um munícipe quer solicitar troca de lâmpadas é orientado a ligar na Ouvidoria, sendo que o serviço é prestado pela Secretaria de Obras, que é a responsável. 

NÃO TÁ FÁCIL – As negociações entre o Sindicato dos Servidores Públicos e a Prefeitura para estabelecer o índice de reajuste salarial para o ano estão conturbadas. O essencial diálogo para ouvir os anseios dos funcionários só acontece sob pressão, os servidores comentam que falta sensibilidade da prefeita Belkis que é uma funcionária pública. Imaginem se não fosse.

TROCA-TROCA – Se enganou quem imaginou que a troca de secretários poderia melhorar o desempenho político do grupo da prefeita. A pasmaceira continua a mesma, e em alguns casos o substituto só fez piorar ainda mais a imagem do grupo político que administra a cidade. Sem contar que tem ex-secretário que não consegue sair de seu antigo local de trabalho, aproveitando da estrutura pública para projetos pessoais. 

TROCA-TROCA 2 – Os próximos dias serão decisivos para que os futuros candidatos possam trocar de partido. Movimentação entre vereadores vislumbra que o cenário vai mudar, e que o PT pode perder a representatividade na Câmara com a debandada de Inácio J. B. Filho e Tico da Boa Esperança.

TERÁ CANDIDATO – Apesar da rejeição ao PT que se percebe por todo o país, que em Ourinhos resultam na saída de vereadores do partido, parece que os petistas se organizam para lançar o presidente do partido Mário Ferreira como candidato. É preciso lembrar que nas últimas eleições o candidato Toninho do PT não foi eleito, e acabou ajudando a eleger a prefeita Belkis. 

OLHA O PASSARINHO! – O Deputado Federal Capitão Augusto adora aparecer, seja da forma que for. Orgulhoso de ser o único político que vai à sessão da Câmara vestindo farda e exibindo medalhas pregadas no uniforme, o capitão não perde uma chance de ser aplaudido. Apesar do alarde feito com o anúncio de uma emenda no valor de 500 mil destinada ao asfalto, onde o Capitão exibiu um cheque assinado, ainda não se sabe se a Prefeitura recebeu esse dinheiro. Na semana passada ele anunciou uma nova emenda para o recape asfáltico. Tomara que o dinheiro chegue ao destino. 

VERGONHA – Uma notícia envergonhou a cidade esta semana. Em matéria da TV Tem, a cidade foi citada com o triste índice de registro de um estupro por semana nos últimos meses. Na semana em que se comemorou o dia da Mulher, é preciso saber o que a Secretaria de Assistência Social tem feito para informar e proteger as jovens ourinhenses.

ACENDE A LUZ – Além da falta de campanhas que ajudem a evitar casos de assédio sexual, a escuridão das ruas da cidade contribui para a falta de segurança. Estudantes que saem da escola à noite são alvo fácil de marginais que se aproveitam do escuro e mato alto nos terrenos baldios. Uma lástima. 

ANUVIADO – O cenário político com vistas à eleição municipal continua embaçado. Por enquanto o vereador Lucas Pocay, pré-candidato às eleições pelo PSD, tem sido visto em reuniões e encontros com lideranças partidárias. O grupo Toshio-Belkis continua sem definir o candidato à sucessão. 

CADA COISA – Com a indefinição do cenário político para as próximas eleições, o que não falta é boato. Uma conversa que circulou esta semana insinuou que Toshio e Belkis podem sair como candidatos. Mas não juntos, na dobradinha que governou a cidade nos últimos anos. Cada um por si, para que a parceria entre eles possa ser questionada, dando a impressão que houve um racha que poderia beneficiar o candidato Toshio. Cada uma…

CAINDO PELAS TABELAS – O mandato da prefeita Belkis está chegando ao fim e não houve nenhuma iniciativa para resolver o assunto das calçadas na cidade. Cada um faz o que quer, sem padronização nem fiscalização. Acessibilidade é um sonho longe de ser concretizado, e resolver este assunto não esteve nos planos do grupo que governa a cidade. Quem mais sofre são as pessoas mais velhas, vítimas de quedas nas calçadas cheias de buracos e desníveis. 

DO MESMO JEITO – A atual administração não investiu recursos para a manutenção do Teatro Municipal. Um serviço de porco foi feito pintando somente a parede da frente, esquecendo as laterais, escondendo as infiltrações, rachaduras e problemas elétricos do prédio. Uma pena. 

O ÚLTIMO QUE SAIR…. – O clima das últimas sessões da Câmara foi de morno pra gelado. Apesar dos graves problemas que a cidade experimentou nos últimos anos, parece que os vereadores cansaram de levantar assuntos polêmicos, preferindo amenidades.

OSSO NA GARGANTA – Os ourinhenses merecem respostas para algumas perguntas: Quem levou o dinheiro no escândalo do Vale Transporte? A Polícia já descobriu quem assassinou Max, o funcionário público que foi morto depois de depoimento na CPI que investigava esse assunto? Até quando teremos que pagar um número excessivo de cargos de confiança? Quando vai terminar a CAR que investiga a qualidade do serviço de recape asfáltico? Até quando vamos conviver com a imoralidade da imprensa paga com dinheiro público?

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.