segunda, 15 de abril de 2024

Comércio varejista têm pior resultado de crescimento desde 2016

De acordo com Pesquisa Mensal do Comércio, o setor fechou 2022 com crescimento de 1%

 

Da Assessoria

 

O crescimento do comércio varejista no Brasil foi muito abaixo do esperado, de acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no início do mês de fevereiro. De acordo com a entidade, o volume de vendas do comércio varejista fechou 2022 com crescimento de apenas 1%, pior resultado do setor desde 2016, quando havia apresentado queda de 6,2%.

“No ano passado estávamos mais otimistas, pois acreditamos que os consumidores iriam voltar a comprar depois do hiato da pandemia. Não tivemos queda, isso é bom, mas o crescimento foi abaixo do esperado apesar de todo o trabalho e incentivos que as associações comerciais fizeram”, destacou o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ourinhos, Robson Martuchi.

Entre os segmentos do varejo, a atividade de combustíveis e lubrificantes, com alta de 16,6%, foi a que apresentou melhor resultado. Mais quatro atividades fecharam o ano com crescimento: livros, jornais, revista e papelaria (14,8%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (6,3%), equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (1,7%) e supermercados, alimentos, bebidas e fumo (1,4%).

Três atividades tiveram queda: outros artigos de uso pessoal e doméstico (-8,4%), móveis e eletrodomésticos (-6,7%) e tecidos, vestuário e calçados (-0,5%).

Em dezembro, o comércio varejista teve queda de 2,6% em relação ao mês anterior e alta de 0,4% na comparação com dezembro de 2021. A receita nominal do setor avançou 14,1% no acumulado do ano e 10,2% na comparação com dezembro de 2021, mas recuou 0,3% na passagem de novembro para dezembro.

 

Outros setores

No varejo ampliado, que também analisa os setores de materiais de construção e venda de veículos e peças além das oito atividades do varejo, fechou o ano com queda de 0,6% no volume de vendas, devido a perdas de 8,7% no setor de construção e de 1,7% nos veículos.

O setor teve perda de 0,6% na comparação com dezembro de 2021, mas apresentou alta de 0,4% na passagem de novembro para dezembro.

A receita do varejo ampliado cresceu 12,6% no acumulado de 12 meses, 8,7% na comparação com dezembro de 2021 e 0,4% na passagem de novembro para dezembro.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.