sábado, 13 de abril de 2024

Deputado Augusto Rosa divulga nota de repúdio a atos terroristas contra os 3 Poderes em Brasília

Políticos das regiões de Bauru, Itapetininga, Rio Preto e Sorocaba (SP) usaram as redes sociais para se posicionar contra atos antidemocráticos de bolsonaristas na capital do país neste domingo (8).

 

Da redação

 

Os atos terroristas que devastaram Brasília neste domingo (8) provocaram repúdio na classe política. Deputados federais e estaduais do interior de São Paulo se posicionaram contra a quebradeira registrada na sede dos três poderes na capital do país: Palácio do Planalto, Congresso e STF.

O deputado federal de Ourinhos, que tem domicílio eleitoral em Bauru, Capitão Augusto Rosa, que é do mesmo partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, o PL, manifestou repúdio à violência registrada. Ele é presidente da frente parlamentar da segurança pública.

“Nota de repúdio pela forma violenta como foram conduzidas as manifestações ocorridas neste domingo na capital federal, com depredação e invasão de patrimônio público e violência contra agentes de segurança pública”, escreveu.

“A liberdade de manifestação é pilar fundamental do nosso Estado Democrático de Direito, que deve ser resguardado quando utilizado de forma legítima, nos moldes em que garantidos pelo nossa Constituição”, completou.

O deputado ainda disse que, a frente parlamentar que ele representa, formada por 300 deputados, “solidariza-se com os policiais que foram atingidos no exercício das suas funções e se compromete a acompanhar as investigações para a identificação e punição”.

 

 

 

Rodrigo Agostinho, ex-prefeito de Bauru e ex-deputado federal, cotado para assumir o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), escreveu que as cenas deste domingo são de “destruição e violência”.

De Sorocaba (SP), o deputado federal Vitor Lippi (PSDB) repudiou o ataque e apoiou a intervenção federal na segurança do DF, decretada por Lula (PT) no fim da tarde de domingo.

“Em face dos acontecimentos no dia de hoje, com a divulgação de cenas lamentáveis da invasão do Congresso Nacional, Palácio do Planalto e STF, por manifestantes que pediam intervenção militar, ato incompatível com o regime democrático em que vivemos, além da atuação insuficiente do Governo do Distrito Federal, fez-se necessária a intervenção federal. Tal matéria será tratada no Legislativo e terá meu voto favorável”, escreveu.

O deputado federal Jefferson Campos (PSD), também de Sorocaba, afirmou: “As cenas que vemos em Brasília, Congresso, STF e Planalto são absolutamente inaceitáveis em nossa democracia. Defendemos o direito à livre manifestação, mas nada justifica a destruição, vandalismo e principalmente a violência.”

Simone Marquetto, deputada federal de Itapetininga (SP) eleita pelo MDB em 2022, também se posicionou contrária aos atos deste domingo (8). “Oremos pelo Brasil. A violência não gera resolução. Paz e diálogo levam a ordem e ao progresso.”

A deputada estadual Maria Lúcia Amary (PSDB), de Sorocaba, usou as redes sociais para classificar o ato como terrorismo e pedir punição aos vândalos.

“Meu total repúdio aos atos terroristas de hoje em Brasília que vandalizaram as instalações dos 3 Poderes do nosso país. Espero a mais rápida punição aos responsáveis que apenas envergonham a nossa democracia e corrompem a paz social”, afirma.

 

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.