sexta, 01 de março de 2024

Confirmada morte de criança de Ipaussu por febre maculosa

Haroldo Fernandes Marcondes Balieiro, 8 anos, faleceu na Santa Casa de Ourinhos

 

Marcília Estefani

 

Foi divulgado na última terça-feira, 18, pela Prefeitura de Ipaussu, resultados dos exames de Haroldo Fernandes Marcondes Balieiro, falecido no dia 24 de janeiro, com suspeita de febre maculosa. A confirmação do laudo positivo para a doença veio do Instituto Adolf Lutz.

Haroldo tinha apenas 8 anos e foi picado pelo carrapato estrela

Relembre o caso – Segundo a mãe do menino, Jéssica Ariadny, eles estiveram no lago municipal da cidade, local habitado por muitas capivaras, onde o menino foi picado pelo carrapato estrela, principal vetor da doença.

No dia 17 de janeiro, a criança passou mal e foi levada para a Santa Casa de Ipaussu, medicado e liberado. No sábado, 18, novamente no hospital, a mãe informou que Haroldo foi picado, foi feito hemograma, que segundo a médica estava normal, e foi liberado.

Na terça-feira, 21, o menino mais uma vez foi levado ao hospital de Ipaussu, onde ficou internado e foi transferido para a Santa Casa de Ourinhos em estado grave, vindo a óbito no dia 24.

Outras vítimas – Em 3 de outubro de 2019, o filho do vereador Gelson dos Santos Costa (Ratinho), Thiago dos Santos Costa, morreu aos 15 anos de idade. Exames enviados ao Instituto Adolfo Lutz confirmaram o diagnóstico de febre maculosa. João Gabriel Nunes Martins, que completaria 11 anos de idade, faleceu no hospital de Ipaussu com suspeitas da doença no dia 20 de janeiro de 2020. O caso ainda aguarda resultados de exames pra confirmar a doença.

Fabiana Nunes Martins, mãe de João Gabriel, denunciou e mobilizou a população a buscar pelo afastamento das capivaras que moram no lago municipal de Ipaussu.

Cerca de 70 capivaras habitam na região do lago

Problemática das Capivaras – O lago Municipal, ponto turístico da cidade, local frequentado por munícipes de todas as idades, para fins de lazer e pesca, abriga também cerca de 70 capivaras, animais que são hospedeiros do carrapato estrela, transmissor da “doença do carrapato” ou “febre maculosa”.

Em nota, a prefeitura de Ipaussu afirma que segue tomando todas as providências necessárias para a retirada dos animais do lago. Que as capivaras ainda estão ali pois a Secretaria Estadual não liberou a remoção. Conforme orientações dos órgãos ambientais e veterinários, um brete (cercado) está sendo montado no local para agrupar as capivaras, facilitando o exame de sorologia, que foi autorizado e tem previsão para ser feito ainda esta semana por uma equipe de Biólogos da Unesp de Botucatu. A ação visa confirmar se há algum animal doente, permitindo a identificação de cada um por meio de microchipagem, para tomar futuras decisões sobre o que fazer com as capivaras e para onde levá-las.

As capivaras serão abrigadas no brete (cercado) onde serão realizados exames de sorologia

A pesca no Lago, até segunda ordem, continua proibida, e a feira livre que acontecia no local também foi transferida para a praça da Igreja Matriz.

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.