sábado, 15 de junho de 2024

Informações sobre morte de Eiji não passam de especulações, afirma DIG

Renata Tiburcio e redação

Após uma semana do crime que chocou a cidade de Ourinhos com a morte do jovem de apenas 22 anos, Eiji Marvule Nagae, a Polícia Civil, através da Delegacia de Investigações Gerais, agora trabalha para encontrar os assassinos. Segundo o delegado titular da Polícia Civil, Dr. João Ildes Beffa, as informações que foram divulgadas pela mídia apostando os possíveis motivos da morte do rapaz não passam de especulações.

Um site da cidade divulgou em matéria que o crime teria sido cometido por dois possíveis motivos. O primeiro porque Eiji teria atirado contra um cavalo de uma fazenda vizinha após o animal ter ido comer a plantação da propriedade rural de sua família. A segunda possibilidade está relacionada ao roubo da moto de um amigo, em que Eiji teria ido tirar satisfações. 

No entanto, o delegado desmente informações e aponta que não passam de especulações. A Polícia Civil agora irá ouvir testemunhas que possam colaborar com as investigações para chegar até o assassino. A equipe de reportagem do jornal NovoNegocião tentou fazer contato com a família de Eiji, porém a mesma preferiu não se manifestar até que as investigações tenham andamento.

O CRIME – O assassinato de Eiji Marvule Nagae, 22 anos, aconteceu na noite do dia 1º de abril. A notícia que para muitos poderia ter sido uma brincadeira do dia da mentira se tornou uma triste notícia para familiares e amigos do jovem, que cursava administração na faculdade de Ourinhos. Segundo relatos de testemunhas, Eiji estava acompanhado de sua namorada no estacionamento da instituição quando dois ocupantes em outra moto se aproximaram. O garupa desceu do veículo e ao se certificar que se tratava de Eiji, efetuou três disparos em direção a ele, que atingiram a cabeça do rapaz.

Em pouco tempo, o SAMU foi acionado, sendo o estudante levado para a Santa Casa de Ourinhos. Apesar dos esforços, Eiji não resistiu e seu óbito foi constatado. O local foi isolado para que a Polícia Técnica pudesse registrar a cena do crime. De acordo com Beffa, na segunda-feira, 04, foi instaurado inquérito policial. De imediato, a possibilidade de roubo foi descartada, já que a descrição do acontecimento evidenciou fortes indícios de uma execução.

Eiji Nagae foi velado no Velatório São Benedito, em frente ao Velório Municipal e seu sepultamento aconteceu as 15 horas do sábado, 2, no Cemitério da Saudade de Ourinhos, com a participação de muitos amigos, motoqueiros, assim como familiares.

O caso causou comoção e em protesto por mais segurança mais de 450 pessoas se reuniram na noite desta segunda-feira, 4, para prestar também homenagem ao jovem. O ato público teve participação de motoqueiros amigos que fizeram uma homenagem com as motos, que sempre foram grande paixão do jovem. 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.