sábado, 20 de abril de 2024

Inteligência Artificial na Educação e ensino à distância: prós e contras

Professor Michel Arthaud da Plataforma Professor Ferretto analisa como a ferramenta pode ajudar nos estudos

 

Luisa Vieira

 

A Inteligência Artificial (IA) tem sido cada vez mais aplicada em diversas áreas – incluindo a educação- e, com o avanço da era digital, novos recursos tecnológicos são criados a cada dia. Enquanto alguns argumentam que a tecnologia facilita a aprendizagem, outros têm ressalvas sobre seu impacto.

De acordo com levantamento recente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), os estudantes hoje desejam um modelo de estudos que combine duas ou mais formas de ensinar e de aprender. Ainda segundo a sondagem, os alunos entrevistados declaram que gostariam que apenas metade (45%) da carga horária fosse dedicada às aulas presenciais tradicionais.

“Os recursos de IA permitem simular comportamentos humanos relacionados à inteligência, tais como o raciocínio, solução de problemas, percepção e até mesmo a tomada de decisões, mesclando o conhecimento humano ao artificial. Apesar de muitos acreditarem que a IA é um assunto restrito à ficção científica, ela já é uma realidade em diversas áreas, inclusive na educação, apresentando diversos benefícios e desafios para os alunos e professores”, avalia o Professor Michel Arthaud, professor de Química e diretor da Plataforma Professor Ferretto – canal 100% online com foco na preparação para o Enem e vestibulares, que contempla todo o conteúdo do Ensino Médio e soma 70 mil alunos de todo o Brasil.

Pensando nisso, o docente listou os prós e contras da Inteligência Artificial:

 

PRÓS

PERSONALIZAÇÃO DO ENSINO – A possibilidade de customizar o ensino, de acordo com as necessidades de cada estudante, é um dos pontos mais importantes para a absorção eficaz de conteúdos. “Com o uso da Inteligência Artificial, essa personalização é possível, o que faz com que os alunos se interessem mais pelos tópicos abordados, tendo maior disposição para compreender as disciplinas e ampliando as frentes de conhecimento. O aluno torna-se o verdadeiro protagonista do seu ensino e as individualidades serão respeitadas.”, avalia Arthaud.

 

ACESSO FACILITADO AO ESTUDO – Ainda de acordo com o professor, no Brasil, o uso da Inteligência Artificial ajuda a criar ferramentas que podem ser disponibilizadas a valores acessíveis para os estudantes “Com mais materiais de apoio disponíveis na internet conseguimos cada vez mais democratizar o acesso à educação no ensino remoto”, completa o docente.

 

MAIOR DETECÇÃO DE PLÁGIO – É comum que os alunos façam pesquisas e se inspirem em textos disponíveis na Internet ao realizar um trabalho solicitado pelo professor. Entretanto, o problema é quando, em uma tentativa de economizar tempo, o estudante copia todo o material acessado e entrega como se fosse autoral, resultando em plágio.

“Por meio da IA, é mais fácil e prático identificar tentativas de plagiar, o que torna a avaliação do professor mais rápida e assertiva”, explica o professor Michel.

 

SIMULADO INTELIGENTE – Outro grande diferencial da IA é a possibilidade de criar simulados inteligentes. Desde 2022, a Plataforma Professor Ferretto utiliza tal recurso, uma ferramenta que ajusta simulados de provas diariamente conforme a necessidade do aluno, visando contribuir com o processo de aprendizagem dos estudantes.

“A Inteligência Artificial tem muito a somar com o setor da educação e com o desenvolvimento dos alunos, desde que a sua implementação seja muito bem pensada e discutida pelas instituições de ensino”, defende Michel Arthaud.

 

CRIATIVIDADE EM ALTA – O medo de o aluno encontrar tudo pronto e feito pela AI deve ser substituído por perguntas eficazes feitas pelos professores. Usando perguntas bem formuladas, os professores vão permitir o uso inteligente dessa nova tecnologia gerando o interesse, a curiosidade e estimulando a criatividade. “Não é sobre o que vai ser respondido e sim sobre o que vai ser perguntado”.

 

CONTRAS

DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES ESSENCIAIS – Com o uso da Inteligência Artificial, os alunos podem acabar tendo deficiências no desenvolvimento das habilidades necessárias para o aprendizado, como leitura, interpretação de textos, escrita e compreensão.

“Por isso, é fundamental haver sempre um equilíbrio entre o estudo tradicional e tecnológico”, recomenda o especialista.

 

DEPENDÊNCIA DA TECNOLOGIA – O excesso do uso das tecnologias pode afetar a maneira como os alunos fazem as suas pesquisas e resolução de problemas dentro das matérias e isso torna o estudante dependente no momento dos estudos “Eles podem começar a confiar demais em assistentes virtuais e perder a capacidade de buscar informações de forma independente”, completa Michel.

 

FALTA DE CONTATO PESSOAL – Embora a IA promova uma revolução na educação – tanto para os professores, quanto para os alunos- é válido considerar que os planos de ensino podem ser afetados, de forma direta ou indireta. “A tecnologia reduz o tempo de planejamento para a criação de uma aula, assim como encurta o período de aprendizado dos alunos e, dessa forma, a interação diminui. Isso também é um fator a ser considerado”, finaliza o professor.

 

SOBRE A PLATAFORMA PROFESSOR FERRETTO – A plataforma é uma das maiores do país no segmento e tem o objetivo de oferecer um ensino de qualidade acessível aos jovens. Atualmente, conta com mais de 70 mil estudantes em todo o país, os quais se preparam para as provas do Enem e dos vestibulares mais importantes com aulas on-line.

Por meio da plataforma, os candidatos podem fazer o seu próprio cronograma sem saírem de casa para estudar. Nesse espaço virtual, têm acesso a diversos materiais e a um total de 12 professores das principais disciplinas, todos altamente qualificados e que uniram forças para ensinar, orientar e dar acesso aos conteúdos.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.