sábado, 15 de junho de 2024

Jovem acusado de pedofilia é preso em menos de 24 horas

Renata Tiburcio

Em menos de 24 horas, com a ajuda do pai de um garoto de 10 anos, a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Ourinhos conseguiu prender em flagrante na noite de terça-feira, 26, o acusado de pedofilia R. P. A., 26 anos, localizado nas proximidades da Escola SESI. O acusado usou a página do Facebook para aliciar o menor.

Durante uma entrevista coletiva a delegada titular da Delegacia Especializada, Drª Ana Rute de Castro Bertolasso explicou como ela e sua equipe conseguiram prender o acusado de assediar um menor de 10 anos através do Facebook.

Na segunda-feira, 25, o pai do garoto procurou pela Polícia Civil desesperado informando que praticamente há uma semana um rapaz com perfil no Facebook havia entrando em contato com seu filho, e junto com o contato verbal o rapaz encaminhava fotos exibindo seu órgão genital e tentando convencer o garoto a atos libidinosos.

“Esse pai foi muito hábil, ele percebendo que o filho estava escondendo alguma coisa e já visualizando as conversas no Facebook, nos trouxe a notícia e entre ele trazer a notícia e hoje, conseguimos em menos de 24 horas que e crime foi esclarecido e o autor preso”, explicou Ana Rute.

Durante a ação o rapaz confessou que se exibia sim, mas a intenção era só mostrar. Porém, o pai do garoto, com acesso ás redes sociais e de posse das informações do acusado, marcou um encontro com o aliciador em nome de seu filho. “Esse pai se passando pelo filho combinou um encontro para o ato libidinoso, ele avisou a polícia e até por prevenção da vida dele nós corremos pra lá e surpreendemos o acusado chegando para manter o contato com o garoto” narrou a delegada.

O garoto, que também colaborou e muito para o sucesso da operação, contou tanto para seu pai quanto para a delegada, que durante o bate papo com o aliciador ele contou sobre suas atividades diárias, sendo assim, o pai usou dessas informações e marcou o encontro nas proximidades do Sesi, afirmando que iria jogar bola.

“Nossa preocupação maior era com a vítima e também com o autor, porque um pai aborrecido com uma situação dessas pode fazer uma atrocidade com o autor, então essa nossa preocupação fez com que fossemos ao encontro dele, nem teve a aproximação, assim que o rapaz chegou, gesticulou e sorriu para o menino minha equipe já se aproximou e deu ordem de prisão”, detalhou a delegada.

A prisão preventiva foi decretada de acordo com Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) no artigo 241-D, que fala de assediar, aliciar a criança com a conotação de atos libidinosos.

A delegada orienta os pais quanto à fiscalização dos filhos nas redes sociais. “Não é o impedimento, mas se eu permitir eu tenho o direito de ter o acesso e a obrigação e o zelo pela educação do filho, é responsabilidade do pai e não de quem tem uma conta na rede, uma vez que o pai permitiu tem que fiscalizar a não ser que ele não permita o acesso”.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.