sábado, 15 de junho de 2024

“Onde está o teu irmão?”, pontuou Cortella em palestra em prol da RECCO em Ourinhos

Hernani Corrêa

A RECCO – Rede de Combate ao Câncer de Ourinhos – trouxe para Ourinhos na sexta-feira, 11/11, o professor, filósofo e palestrante Dr. Mário Sérgio Cortella. O evento aconteceu no salão de festas da AIOR – Associação das Indústrias de Ourinhos e Região – no recinto da FAPI e teve o objetivo de arrecadar fundos para a entidade. Cortella palestrou gratuitamente sobre A Arte de Liderar e Ética a mais de 1.400 pessoas durante quase duas horas. A iniciativa, segundo ele, foi de Maria Inês Maximiano, sua prima e voluntária da RECCO, que contou a ele a existência da entidade em Ourinhos. Ele também tem parentes e vínculos históricos em Ourinhos, cidade onde seu pai faleceu em 1.990.

Na chegada ao recinto, Cortella atendeu todos os fãs e fez inúmeros “selfies”. Ao final se dispôs a autografar os livros daqueles que já os possuíam e haviam levado. O professor iniciou sua fala lembrando Madre Tereza de Calcutá, que dizia que é fácil amar e ter caridade de quem está longe como os que sofrem com as guerras, por exemplo. “Dificil é amar o próximo”, afirmava a hoje santa brasileira. Citando o Livro de Gênesis, na passagem onde Caim matou Abel e questionado por Deus “onde está o teu irmão?” respondeu “não sei”, Cortella deu a tônica de sua palestra, ligando nossa necessidade de fazer caridade e olhar para os outros irmãos que sofrem.

Em seguida, o filósofo lembrou de Machado de Assis no Livro Memórias Póstumas de Bráz Cubas em que o escritor aconselha que “ninguém confie na felicidade presente, ainda há nela uma gota da baba de Caim”. Adoniram Barbosa também foi lembrado pelo palestrante quando afirmava que “nós não podemos ser imortais, mas podemos ser eternos”, quando deixamos um bom legado como exemplo de vida. E divertiu a plateia quando na letra da música Trem das Onze do mesmo autor diz “minha mãe não dorme enquanto eu não chegar”. Diz Cortella que sua mãe que estava presente na primeira fila até hoje se preocupa com ele e liga, mesmo estando longe, perguntando se já jantou ou se escovou os dentes.

Fiolosofando diversas vezes, o professor afirmou que “a ética é partilha, cuida da nossa decência, que decente é tudo aquilo que enfeita, adorna e indecente é aquilo que enfeia. “Lider é aquele que sabe ser decente e enfeitar os ambientes por onde passa”, pontuou. Demonstrando ser muito otimista, Cortella disse que “quando me perguntam se o mundo tem jeito, respondo: olhe a sua volta”, exemplificando a RECCO que faz um trabalho extraordinário na cidade, organizou e promoveu o evento com tanta maestria.

O apóstolo São Paulo também foi lembrado pelo palestrante quando cuidou da ética das comunidades cristãs em suas cartas e afirmava “Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém” e “eu posso fazer tudo porque livre eu sou, mas nem tudo me convém”. Alertando sobre o comodismo, o professor disse que “a gente se acostuma, mas não deve”. Que nos acostumamos com o padre na igreja, com o governo, com a escola. Ética também é escolha, afirmou: “não é a ocasião que faz o ladrão, ela apenas o revela”. Cortella fez uma comparação do homem com o animal, este que só se alimenta daquilo que não lhe faz mal. “Nós sabemos que vai nos fazer mal e ainda convidamos os outros para participar do banquete”, satirizou.

“Lider é aquele que cuida da ética, a arte de liderar é ter sensibilidade, saber escolher”, disse ele. “Líder e ético é aquele que também tem o equilíbrio entre três coisas – quero, posso, devo. “Tem coisas que quero mas não posso, que posso mas não devo, que devo mas não quero”, assegurando também que líder é aquele que sabe cuidar de si. Em sua experiência como secretário de educação, o professor testemunhou exemplos de quando sofreu tentativa de suborno e não se corrompeu. “Tinha a minha disposição carro oficial que poderia levar meu filho à escola, mas preferia acompanhá-lo a pé para não dar motivos a falatórios”.

Já em suas considerações finais, Mário Sérgio Cortella afirmou que “na arte de liderar, a ética não é um ponto de chegada mas sim de partida”. E lembrou Chico Xavier em sábias palavras: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar a fazer um novo fim”. E aconselhou: “tudo o que não puder contar como fez, não faça. Se for te envergonhar, não faça”. E relembrando o questionamento de Deus a Caim, quando foi perguntado: “onde está o teu irmão?”, que nossa resposta correta seja: “aqui estou”. Ainda citando Adoniram Barbosa, Cortella finalizou dizendo ”minha mãe não dorme enquanto eu não chegar”, portanto “eles também não dormem enquanto eu não chegar”, se referindo ao nosso próximo, a todos aqueles que precisam de nossa ajuda, de nossa liderança e ética!

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.