sábado, 15 de junho de 2024

Ourinhenses só têm insulina para mais dois meses, afirma presidente da ADO

Hernani Corrêa

Cerca de 800 pacientes diabéticos de Ourinhos poderão ficar sem a Insulina tipo Levemir e Novarapid daqui a dois meses, caso o Governo do Estado não regularize o fornecimento suspenso. A denúncia é do presidente da ADO – Associação dos Diabéticos de Ourinhos – Júlio César Benato.

Segundo ele, a Associação recebeu um comunicado do Governo do Estado em setembro de 2014 afirmando que não iria mais fornecer os medicamentos e a ADO, juntamente com o secretário municipal de Saúde, André Mello, informaram ao promotor de Justiça Adelino Lorenzetti Neto em dezembro do mesmo ano.

“Temos cerca de 800 pacientes que utilizam esses medicamentos e a grande maioria não tem condições de comprar, pois custam em torno de R$ 500,00 mensais. Se esses pacientes não tiverem o medicamento, poderemos ter pessoas cegas, que irão precisar de hemodiálise pela paralisação dos rins, amputação de pés e até óbitos. Mesmo que tivessem dinheiro, as farmácias de Ourinhos não teriam quantidade suficiente para fornecer”, informou o presidente da ADO.

Ainda segundo Júlio César, os pacientes têm aberto ações individuais contra o Governo do Estado através da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil, mas acredita que seria melhor que o promotor fizesse uma ação única, senão vai acumular um monte delas no Forum e daqui a pouco não tem mais advogado para defender todos os pacientes. “Outras cidades da região já resolveram esse problema e o governo voltou a fornecer novamente, por quê aqui está demorando tanto”, reclama.

 

Prefeitura – O secretário de Saúde, André Melo, confirmou que Ourinhos tem estoque para somente mais dois meses e disse que teria uma audiência na próxima terça-feira com o promotor Adelino Lorenzetti para ver qual instrumento jurídico é viável nesse caso.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.