quinta, 18 de abril de 2024

Ourinhos e região participam de protestos contra a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva

Marcília Estefani

 

Assim como em muitas outras regiões do Brasil, rodovias da região de Ourinhos também registraram manifestações com bloqueios de rodovias em protesto contra a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), eleito novo presidente do Brasil no 2º Turno das eleições 2022, encerradas no domingo, 30/10.

As manifestações começaram na tarde de segunda-feira, 31/10, quando os manifestantes chegaram a queimar pneus e galhos para bloquear trechos das rodovias em várias cidades.

Em alguns trechos, os bloqueios foram totais, em outros parciais, mas em sua maioria todos colaboraram com as orientações da Polícias Militar Rodoviária, deixando ao menos uma via liberada para garantir o direito de ir e vir dos usuários das estradas.

Na tarde da segunda-feira, trecho da SP 225, próximo do Posto Kafé em Santa Cruz, já nas imediações de Ourinhos, esteve interditado, mas a Polícia Rodoviária conseguiu dispersar os manifestantes após uma grande fila de veículos se formar na rodovia, em ambos os sentidos.

A Justiça Federal determinou, no final do dia, que as forças policiais liberassem as rodovias em quatro estados: Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul, posteriormente se estendendo para todos os locais de protestos.

Porém, na manhã da terça-feira, 1º/11, o movimento recebeu novos adeptos e novos pontos de interdição.

 

OURINHOS – Logo pela manhã a Rodovia Raposo Tavares esteve com trânsito interrompido em Ourinhos. Pneus na pista impediam a passagem de veículos próximo ao Distrito Industrial II, em frente à empresa Zanuto. O acesso à cidade de Piraju também foi obstruído.

Por volta das 10h30 da manhã, a Polícia Rodoviária informou que o fluxo de veículos foi liberado em uma das faixas em Assis e Ourinhos. A Tenente Ângela esteve no local com equipes da Polícia Rodoviária, para garantir a tranquilidade da manifestação e o direito de todos, tanto dos manifestantes, de legitimarem seus protestos, quanto o direito de ir e vir de todos que utilizam a rodovia.

Com a ajuda de empresários e simpatizantes do movimento, muitas pessoas entre caminhoneiros e outros, passaram a noite no local para manter o protesto.

A quarta-feira, 2/11, feriado de finados, uma multidão de pessoas se reuniu em frente ao quartel do Tiro de Guerra em Ourinhos e às 11h20, cantaram o Hino Nacional, se unindo a inúmeros outros municípios brasileiros que repetiram a ação de frente às áreas militares de suas cidades.

Vestidos de verde amarelo, os ourinhenses coloriram a Avenida Expedicionários com suas bandeiras e gritando “eu autorizo” pediam “Intervenção Federal”, um procedimento previsto na Constituição, a fim de “pôr termo a grave comprometimento da ordem pública”.

Finalizado o ato, a maioria se dirigiu à beira da rodovia, onde permaneceram ainda até o final do dia, quando, segundo a PMR, foram se dispersando e todos os pontos foram liberados.

Até a noite da sexta-feira, 4, um grupo de ourinhenses continuava se posicionando no período noturno em frente do Tiro de Guerras para juntos cantarem o Hino Nacional.

 

PreviousNext

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.