sábado, 22 de junho de 2024

Paciente com Lipodistrofia foi internada e agora espera em casa por cirurgia

A paciente Elza Firmino Ribeiro de 56 anos, que sofre de Lipodistrofia grave com massa gigante na coxa direita e no abdômen, após reportagem publicada em nossa edição de 03/06, foi internada, recebeu atendimento merecido e agora está em casa.

No próximo dia 27, ela vai passar por um especialista na cidade de Marília para posteriormente agendar a tão esperada cirurgia.

Há anos Elza convive com uma doença considerada hereditária, segundo diagnosticou o médico que a atendeu. Sendo assim, de tempos em tempos, precisa passar por um cirurgião plástico para fazer a retirada de uma grande quantidade de gordura destas partes do corpo.

A primeira cirurgia aconteceu em 2012, quando foram retirados 23 quilos do abdômen. Dois anos depois, uma nova cirurgia retirou da coxa 11 quilos de gordura. Foram 24 dias de internação na Santa Casa e o diagnóstico médico afirmava que havia chances de novo acúmulo de gordura.

Para o desespero da família, a gordura voltou a se acumular nas pernas e na barriga de Elza, que agendou uma nova cirurgia, a qual espera há seis meses para ser realizada. Durante seu tratamento no posto de saúde da região central de Ourinhos, Elza conseguiu encaminhamento para o AME. Lá, recebeu novo encaminhamento para o Hospital de Assis, mas o papel atestava que ela possuía lipoatrofia facial e HIV positivo, o que Elza afirma não ter.

Diante do diagnóstico equivocado o hospital de Assis pediu à paciente que voltasse ao AME para pegar um novo encaminhamento com a prescrição correta, o que não havia conseguido, pois no Postão os funcionários a orientavam a ir ao AME, mas no ambulatório, a mandavam para o Postão.

A família chegou a contratar uma advogada e procuraram também nossa reportagem com intuito de agilizar a resolução do problema.

Após sofrer um vazamento da massa gigante de gordura acumulada em suas pernas Elza foi internada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento), ficando no local até conseguir uma vaga na Santa Casa, uma vez que sua advogada informou que através da determinação judicial a cirurgia será assistida pelo Governo Estadual e não mais pelo munícipio.

Dona Elza foi transferida para um quarto na Santa Casa, onde permaneceu internada por 14 dias a base de antibióticos e afirma que foi muito bem atendida juntamente com seu marido que a acompanhou durante todo o tempo, e agradeceu pelo carinho e respeito com que foi tratada durante sua internação.

 

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.