sexta, 21 de junho de 2024

Prefeito eleito, Lucas Pocay fala em choque de gestão para reforma na cidade

José Luiz Martins

O NOVO NEGOCIAO entrevistou o prefeito eleito Lucas Pocay e seu vice Paulo Cesar Ferreirinha Testa que a partir de 1º de janeiro de 2017 têm uma das mais importantes missões a cumprir para quem se dispõe a governar fazendo o necessário para guiar a população ourinhense e a própria cidade pelos caminhos da prosperidade e do bem comum. Lucas e Ferreirinha nos concederam com exclusividade uma entrevista na tarde da última quarta-feira para esta edição. Confira.

Qual é o sentimento após esta votação expressiva que o senhor teve?

Gostaria muito de agradecer a população de Ourinhos por essa votação expressiva, o que aumenta mais ainda a responsabilidade. Mas também quero pedir a confiança daqueles que não votaram em nós, pois vamos trabalhar em prol de todos os cidadãos ourinhenses. Que acreditem no projeto de uma cidade melhor que já vínhamos idealizando ao longo dos oito anos de mandato na Câmara, onde procuramos ouvir as pessoas para conhecer os problemas em cada canto da cidade. Agradeço a Deus pela oportunidade que nos é dada de começarmos a colocar em prática uma forma nova de fazer política e de gestão pública. Temos muito trabalho pela frente, mas estou animado e confiante com a nova configuração do legislativo que deverá sempre fiscalizar a nossa administração que vai ser muito transparente respondendo aos questionamentos da comunidade, e dos vereadores sendo parceiros no atendimento a população. O vereador que estiver preocupado em trazer as demandas e anseios da população terão sempre as portas abertas, essa será a nossa linha de gestão o que é extensivo à imprensa da mesma maneira.

Quais as prioridades iniciais e perspectivas de sua gestão?

Primeiro é colocar a casa em ordem, tomar ciência de todos os projetos, ações administrativas, das finanças e para isso vamos começar a partir do momento que criarmos a equipe de transição. A partir do dia 1º vamos fazer uma reforma administrativa para que realmente possamos dar mais eficiência à gestão. Com uma estrutura melhor vamos reduzir os cargos comissionados para colocarmos pessoas competentes e capacitadas para começar a cumprir nosso plano de governo. Temos prioridades desde o início, mas primeiro é preciso organizar e fazer um choque de gestão pondo em prática algumas ações dentro do que já vínhamos falando na campanha em relação à saúde, toda infraestrutura urbana, limpeza, recape e todas outras situações ruins que a população está submetida e cansada de viver.

Entre as várias expectativas da população, a situação da saúde pública e todos os problemas a ela relacionados é a que mais tem afligido os cidadãos menos favorecidos. Como dar uma resposta aos reclamos da saúde no município?

Vamos ter que integrar toda a rede e estrutura da saúde publica do município e essa integração também abrange a Santa Casa. Temos que fazer com que o atendimento primário nos postos de saúde seja realmente de acolhimento das pessoas com diagnósticos corretos, com resolutividade que leve a diminuir a demanda nos outros setores e equipamentos da saúde publica como na UPA e na Santa Casa. Primeiro temos que dar a atenção adequada ao atendimento à saúde nos bairros. Outro ponto é o pronto atendimento na UPA cuja gestão deve ser melhorada, em relação a Santa Casa daremos o suporte necessário. Iremos dialogar com o grupo gestor do hospital para que possamos avançar para uma prestação de serviço mais eficiente já que a população paga um valor elevado para ter esse serviço de saúde. Com atendimento mais amplo dentro do que é referencia e nos casos mais sérios e mais graves queremos que a Sta Casa esteja pronta para atender a população.

É muito preocupante também a saúde financeira do município neste momento?

Sim. Nós temos bastante ciência de como está e não está nada bem. Temos a situação da crise nacional que é um fator complicador. Mas temos que ser criativos para trazer mais eficiência para a gestão, temos que saber economizar e priorizar de forma mais adequada os recursos públicos. De início, somente na revisão de contratos estimamos que conseguiremos economizar pelo menos 10% de recursos. Além disso, vamos utilizar de modernas tecnologias de gestão que possibilitem o aumento na arrecadação.

Ourinhos possui um baixo índice de arrecadação de ISS, minimizar esse déficit pode gerar mais receita. Como corrigir e otimizar isso?

Partimos do princípio que a lei é para todos e tem que ser cumprida de todas as formas e por todos os contribuintes, só assim teremos uma situação equânime e equilibrada. Para isso temos que estruturar melhor a área de fiscalização da prefeitura e isso pode ser feito através da informatização que pode ajudar muito.

O candidato eleito, Dr. Ferreirinha também deu entrevista ao Jornal NovoNegocião e disse que pretende, junto com o Lucas, atuar para fazer Ourinhos recomeçar.

 Dr. Ferreirinha, como se sente debutando no mundo da política que traz muita responsabilidade perante a comunidade?

 

Eu só tenho a agradecer e para mim tudo está sendo novo, mas o que já ficou muito marcado é o carinho das pessoas. Fomos sempre muito bem recebidos pelas pessoas com respeito e educação. Eu não tinha noção de quanto eu e o Lucas somos queridos. Como médico a empatia é outra, é diferente, e você sabe que quando se entra para a politica as pessoas começam a te ver de outra forma e fazem um outro julgamento, mas vejo que é muito satisfatório. Eu particularmente sabia que estávamos indo bem na campanha, mas não esperava essa votação toda, e a forma de poder retribuir todo esse carinho que nos é dado e a expectativa gerada, é com muito trabalho e dedicação pela comunidade.  Como médico acredito poder contribuir muito na área da saúde, mas é claro que posso dar uma opinião aqui e ali sobre outras questões da administração, afinal sou nascido e criado em Ourinhos e vi a cidade crescer e tenho uma visão geral da Ourinhos que queremos. Sempre trabalhei na periferia e não tenho dificuldade para lidar com a população, tenho uma disposição natural para sentar e conversar com as pessoas, essa é a minha formação e gosto muito disso tudo. E como o Lucas ressaltou precisamos sempre estar atentos e ouvir o que o povo tem a dizer, recolher esses anseios e transformá-los em ações que realmente mude a vida das pessoas solucionando os problemas da cidade de forma geral proporcionando qualidade de vida em todos os aspectos. Tenho 25 anos de formação médica e uma vivencia diária que agrega a cada dia novas experiências, um vice-prefeito não pode ser somente uma coisa figurativa tem que ter atuação, pois é isso que a população espera. Tenho certeza de que são muitos os momentos em que darei minha contribuição e isso passa principalmente pela disposição de querer realmente me dedicar ao que nos exige a função pública que me proponho ao lado do Lucas. 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.