sábado, 15 de junho de 2024

Prefeitura deixa associação cultural desalojada e sem sede

José Luiz Martins

Em pronunciamento na última sessão da Câmara o vereador Alexandre Dauage (Zóio) propôs uma Moção de Congratulação à Associação de Amigos da Biblioteca Pública, a AABiP, e denunciou o fato de que, com a mudança do prédio da Biblioteca Municipal para um imóvel muito menor, a entidade perdeu o local onde funcionava sua sede desde sua fundação, em 2003. 

A apresentação da moção de congratulações foi motivada pelo fato de que um projeto realizado pela entidade entre 2009 e 2012 foi relatado em uma Conferência de Arte-educação em Nova Iorque. A fonoaudióloga e contadora de histórias Cinthia Siqueira, que trabalhou no projeto “Ponto de Cultura Para Ler o Mundo” foi a relatora da experiência nos Estados Unidos.

A apresentação consistiu na exposição do trabalho desenvolvido pela oficina de fotografia e vídeo realizada no Parque Pacheco Chaves no ano de 2012, que resultou no audiovisual “Adjetivos do Pacheco”, que pode ser visto na Internet, no endereço https://www.youtube.com/watch?v=XDn6UDSMDmw. O projeto “Ponto de Cultura Para Ler o Mundo” realizou oficinas em diversos bairros da cidade, com recursos do Ministério da Cultura.

Além de ter desenvolvido importantes projetos de incentivo à leitura na Biblioteca Municipal Tristão de Athayde desde sua fundação, a Associação de Amigos da Biblioteca Pública também realizou o Ponto de Cultura, o Festival Literário A(o)gosto das Letras, exposições e palestras. A entidade mantém o site www.tertuliana.com.br, onde estão disponíveis para leitura cerca de 18 mil páginas de jornais antigos que circularam na região. O projeto foi desenvolvido em parceria com o Instituto Brasileiro de Museus, e desta iniciativa resultou também a exposição “Memória em movimento”, que atualmente encontra-se no Colégio Camões, em Santa Cruz do Rio Pardo.

Segundo denunciou o vereador Alexandre Zóio, a entidade tem sofrido perseguição política. “É um descaso tratar desta forma uma entidade que tem prestado tantos serviços voluntários para a cidade. Além do rompimento do convênio, a prefeitura desalojou a entidade sem nem ao menos comunicar”.

O presidente da AABiP, Rogério Singolani, confirma a perseguição: “Cedemos por empréstimo para a Biblioteca desde 2009 os equipamentos e móveis que adquirimos através do projeto Ponto de Cultura, que foi realizado com recursos do Governo Federal. Esses equipamentos formavam o cyber que existia na biblioteca, beneficiando os usuários com internet gratuita. A Prefeita nunca agradeceu e nem ao menos nos comunicou a respeito da necessidade de desocupar o local onde funcionava a sede da Associação. Temos sido tratados com indiferença pela atual administração”, lamenta. 

O vereador Alexandre Zóio manifestou que vai trabalhar para que a AABiP possa ocupar outro espaço público, que é o que acontece com as outras associações culturais. 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.