terça, 21 de maio de 2024

Prefeitura divulga nota sobre possível surto de virose em Ourinhos

Desde o último domingo muitas crianças têm procurado a rede básica de saúde com os mesmos sintomas

 

Marcília Estefani

 

Segundo a Prefeitura de Ourinhos, a UPA – Unidade de Pronto Atendimento do município atendeu no último final de semana uma grande demanda de crianças com sintomas de dois tipos de enfermidades contagiosas, transmitidas por vírus que podem provocar diarreia, febre, vômito, dor de cabeça e dor de estômago.

No dia 21/10, o pai de uma criança atendida na UPA postou nas redes sociais que após ficar mais de três horas na unidade para conseguir atendimento ao filho, o médico, sem ao menos fazer exames, concluiu que a criança possivelmente “passou mal após ter tomado a água de Ourinhos, por estar infectada”.

A afirmação do profissional de saúde chamou a atenção da população, principalmente de famílias que têm crianças pequenas. O Negocião constatou que em clínicas particulares da cidade, inclusive na nova Clínica Pediátrica da Santa Casa, foram registrados também casos como os citados.

Nesta segunda-feira, 25/10, o Secretário de Saúde Donay Neto compartilhou logo pela manhã uma matéria em sua página do facebook como um ‘Alerta’.

 

Postagem dá a entender que água da cidade pode mesmo estar infectada

 

“A Secretaria Estadual da Saúde (SES) afirmou, nesta sexta-feira (22), que 11 cidades do Rio Grande do Sul tiveram “aumento expressivo” de casos da doença diarreica aguda (DDA). Além disso, outros 13 municípios registraram surtos em escolas”, diz parte da matéria publicada pelo G1.

Contatado pela reportagem do Negocião, Inácio J.B. Filho afirmou que “Não há essa possibilidade, até porque diariamente temos um Laboratório Móvel que faz análise da água”.

 

 

Logo em seguida a prefeitura divulgou uma nota, onde admite que “no domingo, 24, a UPA registrou recorde de atendimento de crianças com sintomas das doenças contagiosas mão-pé-boca e a DDA (Síndrome Diarreica Aguda).

 

Situação na Unidade de Pronto Atendimento não mudou nesta segunda-feira, 25/10

Nesta segunda-feira, a situação na UPA não está diferente do domingo, muitas crianças para serem atendidas, todas com os mesmos sintomas de ‘virose’.

“Tenho dois filhos, de 1 e 7 anos, eles estão tomando soro, mas lá fora tá lotado de criança com o mesmo sintoma e só atende conforme libera leito, tem três cama só pra tomar soro”, disse Larissa Anacleto Bengozi.

 

Postagem da mãe que chegou às 12h00 na UPA e conseguiu atendimento às 14h30

 

De acordo com a nota, Donay Neto afirma que mensalmente a Vigilância Sanitária efetua testes na água e amostras são enviadas ao Instituto Adolfo Lutz e aos Departamentos da SAE.

O secretário ressalta que ‘todo o cuidado é importante porque toda a água consumida segue um longo caminho até as torneiras, por isso é importante verificar o estado dos encanamentos, caixas d’água e sempre que possível filtrar ou ferver a água que será consumida pincipalmente por crianças e idosos”.

 

Doença mão-pé-boca – É uma enfermidade contagiosa causada pelo vírus Coxsackie da família dos enterovírus, que habitam normalmente o sistema digestivo e também podem provocar estomatites (espécie de afta que afeta a mucosa da boca). Atinge geralmente crianças menores de 5  anos, mas também pode acometer adultos, e caracteriza-se por pequenas feridas na cavidade oral e erupções nas mães e pés.

 

DDA – A Doença Diarreica Aguda é uma infecção por norovírus, que causa diarreia, febre, vômito, dor de cabeça e dor de estômago. A gastroenterite se desenvolve de 12 a 48 horas após a exposição e a total recuperação geralmente ocorre em 1 e 3 dias.

 

Recomendações a população em geral:

– Consumir água de fontes seguras (potável) tratadas, que tenham processo de desinfecção por cloro ou outra tecnologia. Caso seja desconhecida a fonte, em situações de emergência, recomenda-se fervê-la antes do consumo e antes do preparo de alimentos por, no mínimo, 5 minutos.
– A higienização das superfícies, equipamentos e utensílios utilizados no preparo e consumo de alimentos deve ser realizada com água tratada e/ou fervida.
– O gelo para consumo ou conservação de alimentos deve ser oriundo de água potável e/ou fervida.
– Higienizar as mãos de forma adequada, lavando-as com água e sabão, principalmente após a utilização de banheiro, troca de fraldas, antes de preparar e manipular alimentos e antes das refeições.
– Afastar as pessoas doentes das atividades de manipulação de alimentos e reforçar a higiene pessoal mesmo após o desaparecimento dos sintomas.
– Realizar a limpeza da caixa d’água uma vez ao ano ou sempre que necessário.

Ambientes de creches e escolas demandam uma maior atenção, visto que são locais mais comuns para esses tipos de surtos.

 

De acordo com matéria da SAE, água produzida pela autarquia segue rigorosos processos de qualidade

Logo depois de publicada a nota da prefeitura, a SAE também postou matéria sobre o assunto, onde afirma que a água produzida e distribuída à população de Ourinhos pela SAE (Superintendência de Água e Esgoto) segue rigorosos processos de qualidade atendendo integralmente aos parâmetros exigidos pelo Ministério da Saúde.

A SAE promove análises diárias de amostras de água coletadas em vários pontos da cidade. As análises consistem na verificação da turbidez, pH, cor, cloro, flúor e coliformes totais.

 

 

O Relatório Anual da Qualidade da Água Consumida no Município está disponível no site da SAE (Superintendência de Água e Esgoto) de Ourinhos. O material traz os detalhes das análises atestando a qualidade da água tratada e distribuída pela SAE para o consumo da população.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.