sexta, 21 de junho de 2024

Presos três acusados da morte da transexual Bruninha Rios

Alexandre Mansinho

Na noite da quinta-feira, 16, a Polícia Civil prendeu três acusados da morte da transexual Bruninha Rios. Ela foi cruelmente assassinada com vários golpes de faca na madrugada da quinta-feira. O trio foi encontrado em uma pensão na cidade de Jaú, entre eles há um adolescente de 17 anos.

Com sinais de tortura, o corpo de Bruninha (Guilherme Tavares Pedro) foi encontrado na manhã da quinta-feira, 16, abandonado em uma estrada de acesso ao município de Salto Grande. Um lavrador que passava pelo local viu o corpo dilacerado. A polícia foi chamada e, após perícia, o corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Ourinhos. Pessoas que acompanharam o trabalho policial afirmam que além dos golpes de faca havia sinais de que o corpo também fora atacado por algum animal, provavelmente uma onça que teria deixado sinais no local.

Procurada pela equipe do Novo Negocião, uma pessoa da família revelou que Bruninha já havia tido várias discussões com outra transexual, conhecida como Bárbara e que, na sua opinião, essa transexual foi a autora do crime: “há três dias essa Bárbara apareceu aqui em casa com mais três pessoas, um tal de Zé Gotinha, o Gabriel e o Felipe; todos com o objetivo de bater na Bruninha (…) foram covardes, judiaram demais dela, cortaram o pescoço dela”.

Uma moradora das imediações da Rodoviária Municipal contou que as brigas entre elas eram constantes, e que o tráfico de drogas e outros crimes, como furtos, também faziam parte do cotidiano. Bruninha já tinha uma antiga desavença com Bárbara, testemunhas afirmam que havia um clima de rivalidade e competição entre as duas.

Dr. João Ildes Beffa, delegado titular da DIG – Delegacia de Investigações Gerais de Ourinhos e sua equipe, após ouvir as testemunhas que presenciaram os fatos e instaurar inquérito, concluíram através de investigações que os acusados Bárbara, Gabriel e um adolescente eram realmente os autores do crime e que logo após os fatos foram para a cidade de Jaú, onde também faziam programas.

Ao descobrirem o paradeiro do trio, Dr Beffa entrou em contato com a Polícia Civil de Jaú, que imediatamente se dirigiu até o bairro Maria Luiza IV, mais precisamente em uma pensão conhecida como “Pensão da Deusa”, onde todos foram presos. 

Cristian Adriano do Amaral de 23 anos, conhecida como Bárbara, Gabriel Dias Garcia, de 22 anos e o adolescente de 17 anos não reagiram a prisão mas negaram o crime afirmando que já estavam em Jaú fazia uma semana. Porém no carro de Bárbara, um Fiat Siena branco com placas de Canitar, foram encontrados vestígios de sangue no banco traseiro.

O flagrante foi registrado na delegacia de Jau e posteriormente os três foram trazidos para a Central de Polícia Judiciária em Ourinhos. Segundo o portal G1 o menor está apreendido e os outros dois já foram indiciados por homicídio qualificado e por corrupção de menores, já que envolveram um adolescente no crime.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.