sábado, 22 de junho de 2024

Seis meses do Governo Lucas Pocay: ações acertadas e positivas convivem com velhos problemas, segundo a população

Alexandre Mansinho

No último dia 17 de julho o prefeito Lucas Pocay foi à Câmara dos Vereadores para prestar contas das ações realizadas nos seus primeiros 180 dias de governo. Na tribuna, durante a fala do prefeito, várias vezes as galerias (“recheadas” de ocupantes de cargos comissionados) se manifestaram com aplausos e os vereadores da base (12 dos 15 atuais) não pouparam elogios ao chefe do executivo. O Negocião fez um apanhado das principais medidas da atual gestão e, após ter ouvido vários munícipes e alguns vereadores da oposição, fez um retrato da verdadeira “cara” do governo Pocay.

Grande popularidade – É fato que diversas promessas de campanha foram cumpridas, é fato também que a postura de Pocay, sendo muito mais acessível que seus antecessores, também colabora para uma visão mais positiva do prefeito por parte da população. Porém, há quem alegue que a tal “popularidade” é resultado do trabalho da Assessoria de Imprensa da prefeitura que usa pesadamente as redes sociais para enaltecer os fatos positivos sem mencionar os fatos negativos.

Valorização dos servidores públicos – Logo nos primeiros meses de governo a administração encarou uma greve dos servidores. A adesão foi grande, embora tendo havido uma guerra de informação nas redes sociais com versões diferentes. O Sindicato dos Servidores Municipais precisou recorrer ao Tribunal de Justiça para resolver o impasse pois, segundo publicações oficiais do próprio sindicato, a postura foi truculenta e pouco afeita ao diálogo. Não são raras as alegações de perseguição política aos servidores. Porém, de forma extra oficial, um diretor do sindicato disse à reportagem do Negocião: “é verdade que a prefeitura não negociou como deveria, mas as denúncias de perseguição, na maioria das vezes, são vazias”.

Comunicação – O marco do setor de comunicação da prefeitura tem sido o atendimento sempre pronto à imprensa e, conforme dito anteriormente, o uso pesado das redes sociais. O contraditório, no entanto, fica por conta da “blindagem” feita sobre o secretariado. Há uma postura oficial por parte da pasta para filtrar tudo aquilo que os secretários dizem aos veículos de comunicação.

Planejamento e Finanças – Havia uma promessa de campanha de gestão mais responsável do dinheiro público. A diminuição dos cargos de comissão e diversas ações administrativas visando à economia de insumos em todas as pastas chamou a atenção. 

Assistência Social – Talvez a secretaria que mais enfrenta desafios na atual gestão: o aumento do número de pessoas em situação de rua e o crescimento do desemprego e o empobrecimento da população produz uma demanda enorme para o setor de Assistência. De modo geral a gestão tem sido elogiada, embora haja pontualmente críticas à demora no atendimento de algumas famílias em situação de risco social. A ocupação da Concha Acústica por parte dos sem-teto também produz críticas ao governo. Porém a reportagem do Negocião já testemunhou, diversas vezes, o veículo de acolhimento da Secretaria abordando os moradores de rua.

Desenvolvimento Urbano – A operação tapa-buracos é a ação que mais recebeu críticas e elogios na pasta do Desenvolvimento Urbano – o serviço de recape tem sido realizado e está “mudando a cara” de vários bairros. As críticas, porém, ficam por conta da qualidade do material que está sendo utilizado, que é considerado muito inferior segundo alguns.

Meio Ambiente – Nos primeiros dias de governo as críticas sobre o mato alto e a necessidade de podas e roçadas foram inúmeras, porém as ações, nas últimas semanas, de cuidado com praças e jardins, sobretudo nas margens das rodovias, são o capítulo positivo na gestão da secretaria.

Educação e Cultura – Ação tem chamado a atenção positivamente na pasta da Educação. No entanto a falta de diálogo com os conselhos e com servidores têm gerado críticas. No início do ano, diante do convênio firmado com o SESI, houve quem questionou a ausência de licitação e classificou a medida como autoritária. Porém, passada a primeira impressão, há quem elogie bastante os resultados do convênio.

Cultura – A pasta da Cultura, a exemplo da Educação, teve polêmicas nos primeiros dias de governo. Porém, o Negocião voltou a conversar com os que haviam criticado severamente o governo no início do ano e ouviu opiniões positivas.

Saúde – Sem dúvidas o setor mais sensível em todo o governo. Houve diversas mudanças efetuadas pelo governo, algumas que colheram muitos elogios por parte da população. No entanto, a Santa Casa e a UPA – Unidade de Pronto Atendimento – ainda estão longe de produzirem elogios por parte da população. Não há reclamações quanto aos funcionários e ao atendimento, o capítulo negativo fica por conta do número de médicos e número de leitos. Nos postos de saúde a carência de médicos foi resolvida, porém a realização de exames de alto custo ainda provoca reclamações. 

Esportes – Outra pasta que teve episódios polêmicos por conta das alterações feitas pela nova gestão. A nota positiva fica por conta das parcerias com professores voluntários e o Batalhão da Polícia Militar e a Associação Mirim de Ourinhos. Porém, há denúncias de cortes de verbas que prejudicaram o atletismo e acabaram diminuindo o número de projetos de formação de novos atletas.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.