sábado, 20 de abril de 2024

Setor de serviços cresce 8,3% no Brasil em 2022, diz IBGE

“Estamos positivos quanto ao setor de serviços, pois os volumes mensais apresentaram resultados satisfatórios, sempre em crescente”, destaca presidente da ACE

 

Da Assessoria

Enquanto o setor do comércio varejista cresceu apenas 1% em 2022, de acordo com o IBGE, o setor de serviços apresentou bom avanço, com dado de 8,3% segundo a instituição.

A Associação Comercial e Empresarial de Ourinhos (ACE) além de atuar no setor varejista, também representa o segmento de serviços e indústria do município. “Estamos positivos quanto ao setor de serviços, pois os volumes mensais apresentaram resultados satisfatórios, sempre em crescente. Acreditamos que o cenário nacional reflita o que estamos vivendo em nossa região. Apesar do crescimento baixo no varejo, podemos ver em nossa cidade várias empresas surgindo nesse setor, que também levam emprego e renda para a nossa população”, destacou o presidente da ACE, Robson Martuchi.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o volume de serviços prestados subiu 3,1% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal. Na comparação com dezembro de 2021, houve avanço de 6,0% em dezembro, já descontado o efeito da inflação.

A receita bruta nominal do setor de serviços subiu 2,1% em dezembro ante novembro. Na comparação com dezembro de 2021, houve avanço de 11,7% na receita nominal.
Com a alta de 3,1% no volume de serviços prestados em dezembro ante novembro de 2022, o nível de atividade do setor renovou o recorde da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços.

Em dezembro, o nível de atividade ficou 14,4% acima do atingido em fevereiro de 2020, antes da covid-19 se abater sobre a economia.

Com o dado de dezembro, o volume de serviços prestados fechou o quarto trimestre com alta de 1,0% sobre o terceiro trimestre do ano passado. Foi um arrefecimento em relação ao terceiro trimestre, quando o avanço, nessa base de comparação, tinha sido de 3,0%. Na comparação com o quarto trimestre de 2021, houve um crescimento de 7,3%.

Luiz Carlos de Almeida, analista da PMS do IBGE, lembrou que o mesmo arrefecimento visto na comparação de um trimestre com o período imediatamente anterior se verifica no acumulado em 12 meses.

O avanço de 8,3% em dezembro (e, portanto, em 2022 fechado) ficou abaixo do visto em novembro, quando ficou em 8,7%. “É natural que, a partir do pico, haja um pouco de devolução”, afirmou Almeida, lembrando que a PMS já havia apontado um recorde do nível de atividade em setembro do ano passado.

REVISÃO

O IBGE revisou a série com ajuste sazonal da PMS, conforme os dados divulgados nesta sexta-feira. O volume de serviços prestados em novembro ante outubro passou de uma variação nula, inicialmente informada, para uma queda de 0,4%. Já a taxa do dado de outubro ante setembro saiu de retração de 0,5% para um recuo de 0,7%.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.