quinta, 18 de abril de 2024

Suspeita de envenenamento assombra tutores de animais na Vila Margarida

Apenas em uma casa, em menos de 48 horas, cinco gatos foram envenenados. Tutora registrou a ocorrência e pede que as autoridades investiguem.

 

 

Alexandre Mansinho

 

 

No último dia 5 de setembro um registro de ocorrência no plantão da Polícia Judiciária de Ourinhos chamou a atenção: Sílvia Cristina Dias, uma moradora da Vila Margarida havia relatado que um gato do qual ela era tutora morreu agonizando, com sinais de envenenamento.

O que trouxe mais perplexidade ao fato foi que, quando Silvia chegou em casa, poucos minutos depois de haver registrado a ocorrência da morte do primeiro gato, outro havia morrido em condições semelhantes: “eu voltei à delegacia e fiz registrar um complemento para o B.O. Além disso, levei os cadáveres dos gatos para que fosse feita necropsia no Hospital Veterinário da UniFIO”, completou Sílvia.

Na manhã do dia 7 de setembro, quando a equipe do Jornal Negocião encontrou Silvia Cristina para entrevista, ela afirmou que, desde o dia 5, mais três gatos haviam morrido em condições semelhantes aos primeiros: agonizando e espumando pela boca. “Eu vou novamente à delegacia para complementar o registro dessa ocorrência (…) isso é muito grave, porque uma vizinha, que acudiu um dos gatos envenenados, que teve contato com a baba do gato moribundo, disse que precisou ir à UPA pois também acabou se intoxicando com o veneno que foi absorvido pela pele”. Ainda segundo Sílvia “esse caso é muito estranho, porque nunca houve problema parecido nessa vizinhança”.

Após a publicação do caso na página do Jornal Negocião no Facebook, ainda no dia 6 de setembro, várias pessoas comentaram que, nos últimos dias, houve pela cidade outros episódios de animais morrendo com sinais de envenenamento. Além da ação de dar veneno a um animal configurar crime, passível de até 7 anos de prisão, pode haver uma intoxicação cruzada, também conhecida como intoxicação por transferência – ou seja, outro animal, até um ser humano, pode ter contato com o veneno, seja pela baba do animal envenenado ou pelo manuseio acidental da própria substância e vir a se contaminar – significa dizer que a crueldade contra os animais pode até se tornar um homicídio.

 

O QUE DIZ A LEI – Recentemente o Congresso Nacional tornou a pena para o crime de maus tratos contra animais um pouco mais severa, podendo ir de 3 a 5 anos de cadeia, com aumento da pena em até 30% quando o animal agredido vem a óbito. A denúncia pode ser feita por diversos canais, inclusive pelo telefone 190 da Polícia Militar. Organizações não governamentais que atuam na causa animal também recebem denúncias e levam às autoridades – outro canal para registro de casos de agressões contra animais é o da Secretaria de Meio Ambiente, pelo telefone (14) 3335-7911.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.