segunda, 15 de abril de 2024

Tragédia com ônibus da Apae atingido por trem resulta em indiciamento por homicídio culposo e lesão corporal, diz polícia

Condutor é indiciado após colisão com trem que causou cinco mortes; polícia afirma homicídio culposo e lesão corporal. Suspeito responde em liberdade.

Da redação

Um motorista de ônibus ligado à Associação de Pais e Amigos de Excepcionais (Apae) de Jandaia do Sul, no norte do Paraná, foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio culposo e lesão corporal culposa. O acidente ocorreu quando o veículo cruzou uma linha férrea e foi atingido lateralmente por um trem. Cinco pessoas perderam a vida no trágico incidente ocorrido em 9 de março, que foi registrado por câmeras de segurança.

As vítimas fatais incluíram um menino de oito anos, duas adolescentes e uma mulher de 56 anos, todos estudantes da Apae, além de uma funcionária de 55 anos que exercia a função de cozinheira na instituição.

A Polícia Civil confirmou o indiciamento por meio de uma nota oficial, mas informou que o delegado responsável pelo caso não estará disponível para entrevistas no momento. O inquérito foi encerrado em 3 de agosto e encaminhado ao Ministério Público, que está avaliando se apresentará denúncia contra o motorista.

A Prefeitura de Jandaia do Sul tomou medidas para afastar o motorista, que é alvo de um processo administrativo interno. A administração municipal afirmou que a investigação encontra-se em fase final.

No momento do acidente, o ônibus escolar da Apae transportava um total de 29 pessoas, incluindo 25 crianças e três monitores, além do próprio motorista. O veículo foi atingido na lateral e arrastado por cerca de 40 metros, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros.

Durante seu depoimento à polícia, o motorista alegou não ter percebido a aproximação do trem. Na ocasião, ele foi liberado pelo delegado devido à prestação de socorro às vítimas.

No entanto, a empresa que administra a linha férrea, Rumo Logística, refutou essa versão, afirmando que o maquinista acionou a buzina para alertar sobre a travessia do trem.

Além das complicações relacionadas ao acidente, a Polícia Civil constatou que o motorista estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida desde 23 de janeiro. Além disso, o ônibus em questão possuía autorização vencida para circular desde 16 de setembro de 2019, de acordo com informações do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR).

Um inquérito civil iniciado pelo Ministério Público identificou que a maioria dos veículos de transporte escolar utilizados pela Prefeitura de Jandaia do Sul apresentava irregularidades, incluindo falta de autorização ou permissão de circulação vencida.

(Com informações da Polícia Civil (PR), RUMO Logística e MPPR)

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.