quinta, 13 de junho de 2024

Veja a Opinião dos Leitores e Editores do Jornal

BOLA FORA – A visita do vereador Lucas Pocay (PTB) ao presidente da CBF Marco Polo Del Nero foi notícia na coluna do jornalista Juca Kfouri, no portal UOL. O título “Acredite se quiser. É de hoje e está na página da CBF” anuncia que o presidente da CBF recebeu comitivas de Ourinhos e São Miguel Paulista. O espanto deveu-se ao fato de Marco Polo ter voltado correndo ao Brasil após a prisão do ex-presidente da entidade, José Maria Marin. Mesmo assim os visitantes quiseram aparecer na foto, e deu no que deu.  

BOLA DENTRO – Rápido no gatilho, o vereador Lucas Pocay postou sua “defesa” no Facebook, argumentando que estivera na CBF, no Rio de Janeiro, em virtude de um compromisso de agenda com o esporte. O vereador, inclusive, utilizou uma foto com o ex-goleiro Gilmar Rinaldi para diminuir o estrago da imagem feita ao lado de Marco Polo Nero. Pocay também usou a tribuna na Câmara para justificar a respeito da viagem. 

ESPORTE NA UTI – A falta de políticas públicas para a área do esporte na cidade foi motivo de acalorados pronunciamentos na última sessão da Câmara. Não existem estímulos para que crianças e jovens pratiquem esportes, motivo da decadência do setor nos últimos anos. Semana passada a SEMESPOR divulgou a retomada do campeonato amador organizado pela nova diretoria da Liga Ourinhense de Futebol, mas, sem explicação nenhuma já corre a notícia de que o evento foi cancelado.

CABIDÃO – Apesar de haver diversos equipamentos para a prática desportiva na cidade, isto não basta. Existem campos de futebol e quadras em quase todos os bairros, que poderiam ser usados se estivessem conservados. O mais grave, no entanto, é a falta de profissionais contratados pelo poder público. A Secretaria de Esportes virou um cabide de empregos, lotada de cargos de confiança indicados por vereadores. Sem professores e técnicos não adianta ter quadras ou campos de futebol. 

PURPURINA – O sucesso vivido pelo time ourinhense de basquete feminino nos últimos anos escondeu uma realidade que hoje se expõe, que é a falta de investimento na formação de talentos da cidade. O time de basquete campeão era formado por atletas contratadas, vindas de outras cidades. Enquanto isso, faltam escolinhas esportivas que possam ajudar na formação de talentos ourinhenses.

CEREJA DO BOLO – O deputado Capitão Augusto deve ser a grande figura da 49ª Fapi. O cartaz oficial da Feira, por exemplo, é ilustrado com fotos dos músicos-artistas que farão os shows da festa e do parlamentar ourinhense, que conseguiu com os organizadores um título de “Presidente de Honra” do evento.

APITAÇO – Vereador de oposição à Belkis diz que pode acontecer um “apitaço” durante a cerimônia de abertura da 49ª Fapi. Em vez de vaias, uma militância estaria preparada para assoprar centenas de apitos durante a apresentação e discurso da prefeita Belkis. Não se tem informações sobre a origem da ideia ou dos recursos para a compra dos apitos.

BABA-OVO – Apesar da eleição para deputados acontecer só em 2018, alguns vereadores não perdem a oportunidade para enaltecer as qualidades dos deputados Mário Bragatto, Ricardo Madalena e Capitão Augusto durante as sessões. Imaginem quando estivermos próximos da eleição.

EMERGÊNCIA – A chuva que causou estragos em setembro do ano passado motivou a Prefeitura para declarar de imediato a situação de “emergência” para o município. Se algum incauto imaginava que isso ajudaria para que os recursos pudessem ser aplicados com mais rapidez, se enganou. O secretário Betão confirmou que até hoje, quase um ano depois, o valor de 2,5 milhões enviados pelo governo do Estado não chegou. O atraso é causado pelos constantes erros nos projetos apresentados pela Prefeitura.

FINGINDO DE MORTO – A Secretaria de Desenvolvimento Urbano tem a função de fiscalizar a qualidade do material que é usado para asfaltar as ruas da cidade. É a mesma Secretaria que deveria ter fiscalizado as obras da Concha Acústica, que caiu por problemas de estrutura e material inadequado. O secretário Valdir Bergamini e seu staff de “especialistas” se fingem de mortos. 

NINGUÉM ASSUME NADA – O que se percebe das convocações dos secretários que se pronunciam na Câmara é que ninguém é culpado de nada. Ninguém assume nada, não é possível saber onde estão os culpados por problemas em todas as áreas, que causam sofrimento para os ourinhenses – é um empurra-empurra. A culpa deve ser do mordomo. 

FALTA PLANEJAMENTO – Outra coisa se percebe depois do pronunciamento dos secretários na Câmara Municipal: falta planejamento em todas as áreas. As coisas vão acontecendo, se transformando sem que exista análise ou programação. Um exemplo é a falta de conhecimento de mapas das galerias de águas pluviais. Coisa parecida acontece com a estrutura de abastecimento de água. Amadorismo que pode causar mais tragédias em períodos de chuva.  

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Se Ourinhos foi governada por um engenheiro durante 12 anos, como se explica o fato de não termos até hoje um estudo a respeito das galerias pluviais existentes no município?

 

 

 

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.