sexta, 24 de maio de 2024

Vereador homenageia o Dia da Enfermagem em sessão

Da redação

De 12 a 20 de maio é realizada a semana brasileira de enfermagem. A comemoração foi instituída pelo decreto n° 48.202, de 12/05/1960. As datas foram escolhidas por se tratarem, respectivamente, do nascimento de Florence Nightingale (1820) e o falecimento de Ana Neri (1880). A semana tem início no dia 12 de maio, `”Dia do Enfermeiro´´ instituído ainda em 1938. Já no dia 20 de maio é celebrado o “ Dia Nacional dos Técnicos e Auxiliares de Enfermagem´´, a data foi definida pelo COFEN em 2004 através da resolução COFEN-294/2004.

Portanto, comemoramos o Dia do Enfermeiro em plena campanha para aprovação do Projeto de Lei n°2.295 de 2000, limitando a duração da jornada de trabalho dos Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem a 30 trinta horas semanais. Infelizmente, o projeto aguarda acordo para inclusão na ordem do dia de votação na câmara federal, mais de trinta deputados já apresentaram requerimentos e até agora nada.

São muitas as facetas da enfermagem, que vão desde a prevenção da saúde aos cuidados diretos com os doentes. Todas da maior importância para a população de qualquer país. O primeiro ensino de enfermagem no Brasil foi ministrado pela Escola de Enfermeiros do Departamento Nacional de Saúde Pública, hoje, Escola Ana Néri, fundada em 1923. Como o próprio nome indica, a intenção principal era preparar profissionais aptos a exercer a enfermagem voltada para os cuidados primários de saúde.  

O exercício da enfermagem abrange atividades de maior e menor complexidade e deve ter em vista uma dinâmica de trabalho realista. Ao enfermeiro cabe o atendimento básico das necessidades do ser humano quando limitado por problemas de saúde, auxiliando-o a retomar sua auto-suficiência. Nos cuidados primários com a saúde, o profissional de enfermagem precisa identificar os problemas pessoais, prestar os cuidados necessários, orientar no autocuidado e encaminhar os que necessitam de assistência especial aos hospitais ou postos de saúde.  Os profissionais de enfermagem voltados para a prevenção precisam, para obter êxito em suas ações, conseguir a participação direta da comunidade no processo de melhoria das condições de saúde. 

O Governo precisa se dar conta da relevância da enfermagem, atividade capaz de preencher lacunas nos serviços sanitários e suprir necessidades urgentes da comunidade. Os cuidados primários de saúde devem estar disponíveis e acessíveis para toda a comunidade. O pessoal de enfermagem deve participar ativamente da elaboração de políticas públicas que venham a atender às necessidades da população. Nesse tipo de serviço, a enfermagem cuida da saúde, em todos os níveis – primário, secundário e terciário -, nas residências, nas escolas, nos postos de saúde, nos hospitais, nos centros comunitários, enfim, em todos os lugares onde haja pessoas a serem assistidas.  

Outra ênfase, de grande importância, dada à enfermagem é o trabalho nos hospitais. Neste caso, a atividade freqüentemente é desgastante: o lidar com o sofrimento alheio exige realmente uma dedicação especial. O desgaste físico e emocional desses profissionais têm sido verificado amiúde e é o fator principal para a evasão e rotatividade da profissão. Para satisfação pessoal seria relevante a adoção de condições que facilitassem o trabalho e levassem o profissional da área a ter consciência da importância de suas funções e a sentir-se socialmente valorizado.  

A enfermagem está à procura de um caminho novo, por intermédio de uma consciência crítica da realidade atual, que permita a seus membros inserção completa no mercado de trabalho. Sendo uma profissão dinâmica, sujeita a mudanças permanentes, deve pautar-se pelo “princípio ético de manter ou restaurar a dignidade dos corpos em todos os âmbitos da vida, corpos estes que, muitas vezes, chegam condicionados, por enfermidades de vários tipos, violências, carências e misérias, bem diferentes do corpo mitológico divulgado pela mídia, quase sempre harmonioso e perfeito”, no dizer de Cláudio Mazzilli.  

Quero deixar meus cumprimentos, na condição de Vereador e Enfermeiro a essa valorosa categoria que tantos e tão grandiosos serviços tem prestado ao povo Ourinhense e brasileiro. A todos aqueles que carregam a lâmpada da esperança para corações magoados e corpos sofridos quero expressar nosso muito obrigado e nossos votos de que alcancem a procurada autonomia sociocultural que lhes garanta os direitos de uma identidade própria, com acesso completo ao saber.  

Era o que tinha a dizer.  “ Parabéns Enfermagem´´

Muito obrigado!

 

ENFERMEIRO ALEXANDRE

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.