segunda, 15 de abril de 2024

Voluntárias ensinam que o amor e o acolhimento são remédios potentes nessa luta

A Rede de Combate ao Câncer de Ourinhos e a Associação Amigas do Peito relatam que, muito além do auxílio material, o testemunho é instrumento valioso na busca da cura.

 

 

Alexandre Mansinho

 

 

O Outubro Rosa é um movimento internacional que propõe a conscientização da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Esta campanha não apenas chama a atenção das mulheres para a importância de consultar seus médicos regularmente e realizar mamografias, mas também incentiva o autoexame das mamas, uma prática simples que pode salvar vidas.

A campanha teve seu início na década de 90, nos Estados Unidos, quando alguns estados americanos realizavam campanhas isoladas sobre o câncer de mama. Apenas após a aprovação pelo Congresso Americano, o mês de outubro foi oficialmente reconhecido como o mês da prevenção contra o câncer de mama nos EUA. Foi nesse período que os icônicos laços cor de rosa, símbolo do Outubro Rosa, começaram a se destacar.

 

NO BRASIL – Em nosso país o Outubro Rosa demorou um pouco mais para ganhar força. O primeiro sinal de envolvimento com a campanha ocorreu em outubro de 2002, quando o icônico Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, foi iluminado com luzes cor de rosa. Porém, nos anos seguintes, a campanha não alcançou o mesmo destaque. Foi somente em 2008 que o movimento ganhou força em várias cidades brasileiras. Campanhas, corridas e a iluminação de monumentos com cor rosa durante a noite se tornaram práticas comuns em todo o país.

O câncer de mama é o segundo tipo mais comum no mundo, e a atenção dedicada a ele é plenamente justificada. No Brasil, infelizmente, o número de mortes devido a esse câncer ainda é alarmante, em grande parte devido ao diagnóstico tardio, quando a doença já está em estágio avançado. Portanto, o Outubro Rosa é de extrema importância, pois incentiva as mulheres a reservarem pelo menos um momento no ano para cuidar de sua saúde.

 

Em Ourinhos existem vários trabalhos de destaque quando se fala em luta contra o câncer. 

RECCO – Com o início oficial dos trabalhos em 13 de junho de 2000, um pequeno grupo de voluntários criou a Rede de Combate ao Câncer de Ourinhos. Em novembro de 2011, a ONG inaugurou uma sede própria na Avenida Domingos Perino, 911, Vila Perino. Nesse local, a missão dos voluntários ficou mais intensa: ajudar e acolher pacientes carentes que enfrentam o desafio do diagnóstico de câncer, fornecendo desde medicamentos essenciais até cestas básicas.

Neide Lopes Campion, diretora social da RECCO, diz que é importante destacar que trata-se é uma organização que atende exclusivamente famílias de baixa renda de Ourinhos, não estendendo seus serviços a outras regiões. Além disso, ela opera sem fins lucrativos e não recebe verba municipal; sua força vem das ações generosas da população ourinhense: “não é lenda, o povo ourinhense têm realmente um coração de ouro”, afirma.

RECCO_Neide Lopes Campion

Camila Melo Del Chico, assistente social da RECCO, ressalta dois aspectos que chamam a atenção na Rede: a organização e o profissionalismo. Segundo ela, para se cadastrar na organização, um paciente precisa apresentar uma comprovação da doença por meio de um exame de biópsia positiva, juntamente com outros documentos pertinentes. Essa precaução é necessária para evitar abusos e garantir que os recursos sejam direcionados a quem realmente precisa: “atualmente a Rede atende centenas de pessoas, com todo o tipo de recurso possível, desde camas hospitalares até a “feirinha” (…) oferecemos também atendimento psicológico, suplemento de medicamentos e suplementos com receitas médicas, auxílio com exames laboratoriais pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e uma doação de leite”, completa.

 

A ASSOCIAÇÃO AMIGAS DO PEITO DE OURINHOS – É uma ONG que oferece empatia e solidariedade na vida das mulheres que enfrentam a batalha contra o câncer de mama. Com uma série de projetos cuidadosamente elaborados, essa organização tem desempenhado um papel fundamental no apoio e no conforto dos pacientes em sua jornada de tratamento.

Jane Kodama Gimenez, ex paciente oncológica que se tornou voluntária do Amigas do Peito, fala sobre o projeto mais conhecido da ONG, a “Almofada Terapêutica”. Essa almofada é uma verdadeira aliada no pós-cirurgia, proporcionando conforto e bem-estar às mulheres em um momento tão delicado de suas vidas.

Da mesma forma, a “Prótese Mamária” oferece uma solução para aquelas que passaram pela cirurgia de retirada da mama, ajudando-a a recuperar a confiança e a autoestima: “quando a mulher recebe o diagnóstico, todo o mundo desaba, as Amigas do Peito surgem para dar acolhimento nesse momento que vair ser difícil, mas que pode ser superado”.

O “Café com Amor” é um outro projeto da ONG que ganhou destaque. Aline Gimenez, funcionária do Hospital Monzillo e voluntária do Amigas do Peito, explica que as mulheres em tratamento têm a oportunidade de desfrutar de um café da manhã acolhedor, repleto de bolos, cafés, chás e outras delícias. Esses momentos de comunhão e conforto são possíveis graças às generosas doações da comunidade local: “é tudo doado, nossa força está na generosidade do povo ourinhense”.

Camila Muraro, enfermeira e voluntária do Amigas do Peito, explica que há outros tantos projetos, com destaque ao “Mechas com Carinho”, que recolhe doações de mechas de cabelo para a confecção de perucas destinadas aos pacientes: “oferecemos carinho, esperança e sensação de que a mulher com câncer não está sozinha em sua luta”.

RECCO_Camila Melo Del Chico

“EU TOQUEI O SINO” – Adriana Voltan, paciente oncológica, “tocou o sino”, isto é, recebeu o diagnóstico de total remissão do câncer: “fui diagnosticada com câncer de mama em 2021 (…) percebi uma mancha no meu seio (…) o médico disse a princípio que não deveria ser nada (…) fiz mamografia em uma carreta que estava em Ourinhos e, quando veio o resultado, descobrimos que eu tinha câncer de mama (…) com um mês, depois de ser atendida pelo SUS, eu já havia operado”. Adriana continua dizendo que além de se apegar na ciência, se apegou demais na religião: “foi Deus abençoando os médicos que permitiu a minha vitória”, completa.

PACIENTE_ATENDIDA_RECCO_Adriana Voltan

VALE LEMBRAR – O Outubro Rosa é muito mais do que uma campanha com laços cor de rosa. É um movimento de pessoas em todo o mundo que lutam contra o câncer de mama, promovendo a conscientização, o diagnóstico precoce e a esperança.

 

CONTATOS – RECCO: (14) 3324-9825/AMIGAS DO PEITO: (14) 99858-3100(Léia).

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.