segunda, 15 de abril de 2024

Corpo de homem é encontrado dentro de sacos plásticos no centro de Marília

Comerciantes das proximidades acionaram a polícia devido ao cheiro forte que exalava no local

 

Da redação

 

Por volta das 11h00 da manhã desta quarta-feira, 9/11, o corpo de um homem foi encontrado dentro de sacos plásticos próximo ao cruzamento das ruas Prudente de Moraes e Quatro de Abril, no centro da cidade de Marília. A Polícia Militar, Civil e perícia foram acionadas até o local e foi necessário interditar o trecho.

O corpo foi encontrado no centro da cidade, em um dos pontos de maior circulação de pessoas, onde existe grande número de câmeras de segurança, o que pode ajudar nas investigações do caso.

 

Corpo foi achado dentro de sacos no centro de Marília — Foto: Fábio Modesto/TV TEM

 

Pessoas que trabalham no entorno afirmam que não havia nada na calçada no final do expediente da terça-feira, 8/11, e acreditam que o saco pode ter sido deixado ali durante a noite ou madrugada desta quarta-feira.

De acordo com o delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Luís Marcelo Sampaio, durante entrevista à imprensa, o homem aparenta ser de origem oriental, apresenta sinais de violência, inclusive de tortura, e pelo forte odor que exala, deve ter morrido há alguns dias, pois se encontra em avançado estado de putrefação.

 

O local foi totalmente isolado — Foto: Fábio Modesto/TV TEM

 

No saco onde estava o corpo, havia inscrição em chinês e o nome ‘Jack’, uma gíria usada por presidiários para indicar estupradores. Porém, o delegado afirma que tudo ainda é muito prematuro e que o primeiro passo é identificar a vítima e investigar seus antecedentes.

“Tudo é prematuro ainda. O corpo foi jogado aqui, deixado aqui, certamente para ser localizado e causar um impacto. A gente tem que apurar agora para descobrir quem é a vítima, é difícil a identificação, está em estado de putrefação”, explicou o delegado.

Questionado sobre a causa da morte, Sampaio afirmou que ainda não dá para afirmar nada, pois o corpo está bastante prejudicado, houve realmente tortura, existem sinais e o corpo está bem prejudicado. Por enquanto o crime é considerado um homicídio qualificado, mas é necessário investigar entre outras coisas, quem desovou o corpo.

“Não sabemos ainda a causa da morte, se foi esfaqueamento ou tiro, na parte de traz da cabeça e na região do corpo tem marcas de lesões que não são do estado de putrefação, mas ainda não é possível afirmar nada. A primeira coisa é descobrir quem é a vítima, ver o histórico, a vida pregressa dele. A inscrição vai servir depois para a gente utilizar como meio de prova”, explicou.

Equipes da Polícia Militar, Polícia Civil, Samu e Polícia Técnico-Científica estiveram no local.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.