segunda, 15 de abril de 2024

Criminosos tentam enganar a Polícia Rodoviária, mas são presos em Ourinhos por tráfico de drogas

Dois casais viajavam em veículos distintos, mas tinham o mesmo destino. Em um dos automóveis foram encontradas grande quantidade de cocaína que seria levada até São Paulo. Eles receberiam R$ 10.000 pelo serviço

 

Marcília Estefani

 

Quatro pessoas foram presas na noite da quinta-feira, 20/10, em Ourinhos, após tentativa de despistar a Polícia Rodoviária de Assis e a de Ourinhos. Eles diziam que iam em destino a São Paulo para comprar roupas, porém, levavam em um dos veículos vários tabletes de cocaína e receberiam R$ 10.000,00 pelo transporte da droga.

A ocorrência teve início por volta das 16h45 e os Policiais Militares Rodoviários presentes na Central de Polícia Judiciária de Ourinhos relataram que foram informados pela PMR de Assis que haviam efetuado abordagem em um veículo Nissan, com placas de São José/SC, onde havia um casal com comportamento suspeito. Marli F., 45 anos, e Renan T.P., 31 anos, disseram ter saído de Campo Grande com destino a São Paulo para efetuar compra de roupas.

Nada de ilícito foi encontrado com a dupla que garantiu ainda que viajavam sozinhos.

Pouco tempo depois, os policiais realizaram abordagem a um outro veículo, uma S 10, onde também viajava um casal, Lucimara M.S., 36 anos, e Adriano P., 38 anos, que fazia o mesmo trajeto, ou seja, Campo Grande x São Paulo, para fins de compras de roupas.

Questionados sobre estarem acompanhados, a passageira da camionete afirmou que conhecia os ocupantes do Versa, que a Marli era sua prima, e que ambos faziam o mesmo trajeto, momento em que entrou em contradição com as informações dadas pelo outro casal.

A camionete foi vistoriada, sendo verificado que atrás do banco havia um assoalho colado e um fundo falso, sem conteúdo, não sendo encontrado nada de ilícito, sendo também liberados.

Após liberarem a camionete o Policiamento Rodoviário de Assis permaneceu, no entanto, acompanhando o veículo sem perder o contato visual para saber se de fato estariam se deslocando para São Paulo, solicitando apoio da base de Ourinhos repassando as características dos dois automóveis suspeitos.

Os veículos acabaram se encontrando e ingressaram em Ourinhos seguindo até a UPA, tendo o condutor da S 10 passado por atendimento. Logo depois ele se deslocou para a área central da cidade, onde a camionete veio a ingressar em uma oficina mecânica na Avenida Expedicionários.

No estabelecimento, o motorista alegou problema no catalisador do veículo, que de antemão foi verificado não sendo localizado nada de irregular. Mesmo assim o homem disse que deixaria o veículo ali para manutenção, e que iria buscar no dia seguinte, sendo informado pelo mecânico que o suposto reparo seria feito naquele mesmo dia.

O casal deixou a camionete na oficina e entrou no Versa que os aguardava, sendo abordados pela PMR logo na sequência.

Indagadas, as mulheres continuaram a passar informações desencontradas, Lucimara dizendo que era prima de Marli, e a mesma dizendo que não conhecia Lucimara.

Os policiais retornaram à oficina para uma outra vistoria na camionete. O mecânico foi questionado sobre o motivo de Adriano ter deixado o veículo ali, tendo o profissional informado todo o ocorrido, ressaltando que apurou não haver reparo a fazer e que achou estranha a atitude do casal informando aos dois que iria fechar a oficina 18h00, que trocaria a peça e que poderiam prosseguir viagem.

A camionete foi vistoriada com auxílio do mecânico, que removeu a carroceria e abaixou o tanque, sendo localizado outro fundo falso, uma espécie de gaveta de ferro, onde foi localizado 69 tabletes de cocaína. Apenas Adriano admitiu que havia pego a camionete em Campo Grande já carregada e levaria a droga para São Paulo e receberia R$ 10.000 pelo transporte.

Os quatro foram apresentados na Central de Polícia Judiciária de Ourinhos, onde foram autuados em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e associação ao tráfico. Após pesagem o entorpecente totalizou 72,023Kg.

Adriano e Renan foram encaminhados à Cadeia Pública de São Pedro do Turvo, e as mulheres ficaram em uma cela na CPJ, aguardando por audiência de custódia.

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.