segunda, 27 de maio de 2024

Homem é preso em Ourinhos acusado de sequestrar, manter em cárcere privado e abusar de menina de 12 anos

Marcília Estefani

 

Um morador de Ourinhos de 30 anos, foi preso pela polícia militar na noite da quarta-feira, 7 de setembro, acusado de ter sequestrado uma menina de 12 anos, na cidade de Salto/SP, que estava desaparecida desde a noite da segunda-feira, 5, quando saiu de casa para ir até a residência de uma tia.

Familiares divulgaram fotos da menina nas redes sociais, na esperança de encontrá-la e o caso ganhou grande repercussão. Um boletim de ocorrência foi registrado na delegacia de polícia de Salto e as investigações foram intensificadas.

Na madrugada do dia 8 de setembro a adolescente foi entregue à sua mãe

 

INVESTIGAÇÕES – Imagens de uma câmera de segurança instaladas no Jardim Santo Inácio foram usadas para investigação da Polícia Civil. O registro mostra a menina caminhando, com uma mochila na mão, por volta das 19h de segunda. Ela estava de calça preta e moletom cor-de-rosa. Testemunhas contaram à polícia que a menina foi vista entrando em um carro com placas de Ourinhos.

Detalhes sobre o caso não foram disponibilizados para a imprensa, por envolver uma menor, mas o 31º Batalhão de Polícia Militar de Ourinhos divulgou nota sobre o caso na tarde da quinta-feira, 7.

A equipe ourinhense foi comunicada pelo Centro de Operações Policiais Militares – COPOM, no dia 7/9 por volta de 18h30 sobre o ocorrido e em posse das características de um automóvel com placas de Ourinhos em que, possivelmente, estaria a menor de idade, iniciaram patrulhamento com vistas ao veículo, um Ford/Fiesta Sedan de cor preta, que em determinado momento foi localizado em trânsito.

Após acompanhamento, o carro foi interceptado e o condutor abordado. Indagado sobre o desaparecimento da menina, a princípio o indivíduo, de 30 anos, negou ter algum conhecimento do caso, porém acabou admitindo o crime e indicou um imóvel localizado no Jardim das Paineiras, que ele mesmo alugou para manter a adolescente.

 

MENOR É LOCALIZADA NO JARDIM DAS PAINEIRAS – Houve então o deslocamento das viaturas até o imóvel, onde a menor foi localizada em um quarto trancado, mobiliado com uma cama de casal. As chaves estavam em posse do acusado. O local foi totalmente preservado para perícia técnica e o conselho tutelar acionado.

Questionada sobre ter mantido relação sexual com o homem, a menina negou, porém, na presença de uma conselheira tutelar, confessou o ato, e disse que há cinco meses conversa com ele pela internet. A garota passou por exames específicos para confirmação do ato.

Ambos foram levados à Central de Polícia Judiciária de Ourinhos (CPJ), onde o sujeito contou que é casado, que vive com sua esposa na Vila Margarida. No endereço foram localizados dois notebooks e uma máquina fotográfica que juntamente com três celulares, inclusive o da menina, foram apreendidos a fim de serem investigados sobre possível armazenamento de pornografia infantil.

Foram tomadas providências cartorárias acerca dos crimes de Estupro de Vulnerável, Sequestro e Cárcere Privado, permanecendo o preso à disposição da Justiça. Na madrugada do dia 8 de setembro, a adolescente foi entregue à sua mãe, que veio até Ourinhos para buscá-la.

Imagens Câmeras – Imagens de câmeras mostram a menina caminhando com uma mochila na mão por volta das 19h de segunda, 5/9

 

CARTA DE DESPEDIDA – Segundo informações do boletim de ocorrência registrado pelos familiares, a mãe disse que a menina ligou para o irmão e avisou que havia deixado um “presente” embaixo do travesseiro, onde foi encontrada uma carta de despedida.

A mãe também soube, por meio da escola onde a filha estuda, que ela estava trocando mensagens pelo WhatsApp com um homem desconhecido e que, em junho, ela chegou a ser seguida em frente à escola. A mãe afirmou que a garota nunca havia fugido de casa antes.

Estupro de vulnerável: É a conjunção carnal ou qualquer ato libidinoso com menores de 14 anos, consideradas imaturas, com ou sem consentimento. Abrange ainda pessoas que, por enfermidade ou deficiência mental, não possuem o discernimento necessário para a prática do ato, bem como, por qualquer outra razão, não possa oferecer resistência. A pena é de reclusão de 8 a 15 anos, mas se resultar em lesão corporal de natureza grave é 10 a 20 anos.

Carro – Ford/Fiesta Sedan de cor preta foi usado pelo criminoso para trazer a menina para Ourinhos

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.