fbpx

quinta, 23 de junho de 2022

Justiça nega segundo pedido de prisão de frei investigado por atropelar suspeito de furtar igreja

Entendimento da Justiça é de que o padre não ameaça as investigações

 

Da redação

 

O juiz da Vara Criminal de Santa Cruz do Rio Pardo (SP), Pedro de Castro e Souza, negou na segunda-feira (16) o segundo pedido de prisão preventiva contra o frei Gustavo Trindade dos Santos, investigado por atropelar um homem suspeito de furtar uma igreja na cidade.

O religioso é investigado por tentativa de homicídio após o atropelamento, no dia 7 de maio, de Ângelo Marcos dos Santos Nogueira, também conhecido por ‘Anjinho’. O homem foi flagrado por câmeras furtando a casa paroquial da Igreja São Sebastião momentos antes de ser atingido por um carro da Diocese de Ourinhos (SP).

Ângelo estava internado na Santa Casa de Santa Cruz do Rio Pardo em estado grave, e precisou ser transferido para hospital em Ourinhos. Além dos diversos ferimentos sofridos ao ser atropelado, ele contraiu uma infecção hospitalar segundo sua advogada.

No dia 10 de maio, a Justiça negou o primeiro pedido de prisão preventiva feito pelo delegado que investiga o caso, Valdir Alves de Oliveira. Nas duas vezes em que a polícia fez pedido de prisão, o Ministério Público se posicionou contra o pedido.

O frei Gustavo se apresentou, acompanhado de dois novos advogados, ao fórum de Santa Cruz do Rio Pardo na tarde da última quarta-feira (11). O chefe do cartório criminal confirmou que o padre esteve no local apenas para informar o seu novo endereço.

Já o advogado de defesa, César Augusto Moreira, confirmou que o frei está mudando seu endereço para o convento Santo Alberto Magno, no bairro de Perdizes, em São Paulo (SP). Ainda segundo a defesa, o frei poderá ser encontrado no endereço enviado à Polícia Civil na quarta-feira (18).

© 1990 - 2021 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.